VOLTAR

Indígenas sofrem atentado a tiro em Parelheiros

Carta Capital - http://www.cartacapital.com.br
Autor: Joseh Silva
09 de nov de 2013

Ocupação indígena Tekoa Eucalipto próximo a Aldeia Tenondé Porã, sofre pela segunda vez atentado de posseiros que querem tomar suas terras

Na tarde de sexta-feira 8, por volta das 18h, uma moto com um homem e uma mulher na garupa passou atirando em direção aos indígenas da aldeia Tenondé Porã, que está em processo de retomada de terra na construção da aldeia Tekoa Eucalipto. Os disparos foram feitos no mesmo instante em que os índios colocavam uma placa de identificação na porteira.

Segundo os indígenas, ninguém se feriu, entretanto o clima de insegurança é grande. "Mais uma vez invasores tentam nos amedrontar para abandonarmos nossa terra, mas vamos ficar", relata uma liderança Guarani da Aldeia.

Desde o outubro, indígenas da aldeia Tenondé Porã retomaram terras antigas de direito deles, reconhecida pela Funai em 2012 como a Terra Indígena Tenondé Porã, localizada na zona sul de São Paulo.

Em um comunicado oficial da Comunidade Guarani da Tenondé Porã, Tekoa Eucalipto, via Facebook, essas terras eram deles desde a década de 70, mas tiveram de sair 10 anos depois, por falta de reconhecimento do governo. "Lutamos por décadas por esse reconhecimento, sempre evitando conflitos com os Juruas (brancos), para não colocar em risco a vida das nossas crianças. Mas decidimos partir para essa retomada porque já não há mais condições na Aldeia Tenondé Porã para vivermos nossa cultura, pela falta de espaço, e o processo de demarcação está parado nas mãos do Ministro da Justiça", segundo a comunidade.

Pela avaliação das lideranças indígenas da Tenondé Porã, esse pedaço de terra está abandonado a pelo menos 10 anos pelos posseiros que dizem ser donos da terra.

http://www.cartacapital.com.br/blogs/speriferia/indigenas-sofrem-atenta…

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.