VOLTAR

Indígenas ocupam DSEI em Cuiabá e cobram reunião com coordenador do órgão

Circuito MT http://circuitomt.com.br
14 de mai de 2019

Um grupo de indígenas ocupa o prédio do DSEI (Distrito de Saúde Indígena), no bairro Santa Rosa, em Cuiabá, para cobrar reunião com o coordenador do órgão. A Polícia Militar diz que eles fecharam o portão do centro e impedem que funcionários saiam, mas não haveria tensão ou ameaças. A Polícia Federal (PF) acompanha o caso.

Em nota divulgada no começo desta tarde (14), o 10o Batalhão da PM informa que foi acionado via Ciosp (Centro Integrado de Operações de Segurança Pública) com a informação de que um grupo indígena "estaria fazendo uma funcionária refém".

"Ao chegar pelo local, a guarnição se deparou com o portão trancado e alguns indígenas no portão, foi iniciado um diálogo com os mesmos, onde informaram que gostariam de tratar de um determinado assunto com o coordenador do DSEI. Foi realizado contato com os funcionários do local, sendo nos cientificado que o grupo indígena que está pelo local não está deixando nenhum funcionário sair enquanto o coordenador não comparecer para conversar com eles e ouvir suas reinvindicações".

A Polícia Federal foi acionada e já está presente no local com uma equipe ostensiva e dois delegados. O coordenador por quem os indígenas cobram a presença está em Santo Antônio do Leverger (19 km de Cuiabá). Ele já teria sido avisado sobre a situação.

A Policia Federal confirmou a ocupação do distrito pelos indígenas, mas negou que funcionários têm sido feitos reféns. "Não houve refém porque eles nem estão armados. Ocuparam sim o DSEI, mas estão de forma pacífica sem clima tão conflituoso. Eles têm exigência e querem falar com o responsável pelo distrito", informou a assessoria de imprensa.

http://circuitomt.com.br/editorias/cidades/140998-indigenas-trancam-por…

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.