VOLTAR

Indígenas invadem fazenda de deputado Urzeni

Brasil Norte-Boa Vista-RR
12 de Ago de 2003

Aproximadamente 20 indígenas invadiram no domingo a fazenda Itamaraty, de propriedade do deputado estadual Urzeni da Rocha Freitas, PSL. A invasão, segundo o deputado, está sendo coordenada por uma freira e o vaqueiro da fazenda teria sido ameaçado.
O deputado Urzeni Freitas pediu ajuda da Polícia Civil, após Ter registrado ocorrência no Plantão Central I. Ele disse que uma equipe de policiais lhe informou que nada poderiam fazer, uma vez que o caso deve ser resolvido pela Polícia Federal.

O deputado explica que foi comunicado pelo vaqueiro da fazenda que o grupo de indígenas chegou em sua propriedade e já levantou acampamento. Os indígenas, que estão com crianças e adolescentes, ameaçaram o vaqueiro e afirmam que não vão deixar o local.
Os indígenas segundo ele, já entraram no local com atos violentos, prova disso são os cadeados da porteira que foram destruídos e houve ameaças ao vaqueiro que está amedrontado.

Temendo por sua propriedade, o deputado Urzeni disse que todo o seu patrimônio se encontra na fazenda, onde está o gado e foi montada uma boa estrutura. Disse ainda que a região em que está localizada a fazenda foi homologada recentemente pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, como Reserva Muriru, mas como não recebeu ainda a indenização, tem direito à propriedade.
Há um acordo, segundo o deputado, que a fazenda somente seria repassada aos indígenas quando recebesse a indenização. "Não recebi a indenização, por isso continuo tendo direito à propriedade", afirma.

O deputado disse que impetrou uma liminar na Justiça Federal pela reintegração de posse e que aguarda o julgamento da ação.
Um detalhe que chamou a atenção do deputado é que a invasão, segundo ele, está sendo comandada por uma freira da Igreja Católica, que estaria munida de equipamentos de comunicação como Globalstar e já fez vários telefonemas interurbanos e internacionais.

O deputado Urzeni disse que preferiu não ir até a fazenda e que pretende resolver a situação na Justiça, uma vez que está bastante abalado psicologicamente.
"Minha fazenda está dentro de uma área que a Funai está requerendo. O Lula homologou a demarcação, só que ainda não foi entregue e nem o pagamento da indenização foi efetuado. Portanto tenho o direito a propriedade. A Funai se furta a falar sobre o assunto e diz que não sabe de nada", disse.

Perspectivas
Urzeni Freitas disse que já fez um pronunciamento na Assembléia Legislativa e falou da falta de perspectivas para melhorar a economia do Estado por meio da agropecuária. Disse que as demarcações em Roraima vão ocorrer de acordo com os interesses das ONGs e que as terras viáveis para serem utilizadas no investimento da economia estão em terras indígenas. "A Justiça não pode ser cega. Tem que ter dois pesos e duas medidas. Quero que me indenizem, preciso de um tempo para retirar meus bens. Porém é inadmissível esta invasão sem que eu tenha sido ressarcido", afirmou.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.