VOLTAR

Indígenas do Vale do Javari, no Amazonas, serão vacinados contra hepatite B

Agência Brasil
Autor: Alessandra Bastos
23 de abr de 2007

Brasília - O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, informou que será realizada uma campanha de vacinação em massa na região da Terra Indígena Vale do Javari, no Amazonas. Na última semana, durante as atividades do movimento Abril Indígena, lideranças reivindicaram ações para reduzir os casos da hepatite B na região. Segundo os índios, 80% da população de mais de 4 mil indígenas estão doentes.

"Temos um problema e estamos providenciando a vacinação”, garantiu o ministro, após contar que no sábado (21) lançou em Foz do Iguaçu (PR) campanha de vacinação indígena juntamente com os governos da Argentina e do Paraguai. "Serão vacinados 680 índios", acrescentou, durante entrevista depois da cerimônia de assinatura de convênio com a Pastoral da Criança.

Os índios exigiram soluções imediatas, mas o ministro afirmou que somente a longo prazo o problema poderá ser resolvido: Nada na saúde se resolve a curto prazo. Tem que ter sustentabilidade, persistência e continuidade”. Temporão disse não ser possível uma solução em dois meses, como pediram os índios.

Segundo as lideranças indígenas, a falta de fiscalização eleva o número de invasores na área, como garimpeiros e madeireiros ilegais, que levam a doença. O território, no extremo oeste do estado do Amazonas, tem 8,5 milhões de hectares.

A Fundação Nacional de Saúde (Funasa) aponta que o alto índice de índios com o vírus da hepatite B se deve à proximidade com habitantes brancos do município de Atalaia do Norte. Em nota divulgada na semana passada, a Funasa informou que todos os indígenas infectados foram encaminhados a essa cidade amazonense para exames e terão tratamento garantido.

Ainda de acordo com a Funasa, as equipes médicas no local foram ampliadas e no ano passado foi realizada a primeira etapa do projeto SOS Javari, para atender comunidades da área com problemas de hepatite e malária.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.