VOLTAR

Indígenas acusam empresa de desflorestação ilegal

Fátima Missionária- http://www.fatimamissionaria.pt
Autor: Francisco Pedro
17 de jul de 2014

Os índios Ayoreo Totobiegosode - um dos poucos povos originários da América que ainda tem comunidades que não contactaram com «o homem branco» - lançaram um apelo às autoridades do Paraguai e à comunidade internacional para travarem a desflorestação ilegal que está a ser promovida por uma empresa brasileira em território indígena.

As terras dos Ayoreo estendem-se desde o sul da Bolívia até ao sul do Paraguai e são consideradas como reserva natural e cultural e território ancestral dos nativos. Segundo Júlio Duarte, advogado dos indígenas, existem estudo geográficos, jurídicos e antropológicos suficientes para demonstrar que o território que pertence historicamente aos índios ascende a 550 mil hectares, uma área que anda a ser reclamada desde 1993.

Em abril, o Conselho Nacional do Meio Ambiente do Paraguai recomendou o cancelamento da licença concedida à empresa, depois de examinar os pareceres das comissões de Biodiversidade, Povos Indígenas, Legislação Ambiental e Assuntos Internacionais, mas os trabalhos têm prosseguido à revelia de uma resolução governamental e de uma sentença do Tribunal de Contas. Se o desmatamento prosseguir, «a vida dos nativos em isolamento voluntário corre perigo, devido à devastação crescente do seu território», alertam os Ayoreo.

http://www.fatimamissionaria.pt/artigo.php?cod=30124&sec=8

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.