VOLTAR

Incra celebra novos contratos de créditos a famílias quilombolas de Sergipe

Incra - http://www.incra.gov.br/
Autor: Incra
19 de dez de 2018

Incra celebra novos contratos de créditos a famílias quilombolas de Sergipe
19/12/2018

O Incra celebrou, dia 14 de dezembro, a assinatura de novos contratos para concessão de créditos a famílias quilombolas do estado de Sergipe.

Os contratos, que garantem acesso aos créditos da linha Apoio Inicial, vão beneficiar 70 famílias do quilombo Forras, no município de Riachão do Dantas, distante cerca de 98 quilõmetros de Aracaju. "Esse crédito é muito importante para a comunidade, porque ajuda as famílias a se planejarem. Dá para pensar na produção, em melhorar a casa, na alimentação. E, ainda, isso tudo fortalece a nossa identidade, valoriza o quilombola", analisou Edite Pereira de Souza, presidente da associação que reúne os moradores de Forras.

Reconhecidas em portaria publicada pelo Incra no Diário Oficial da União, na edição de 6 de novembro deste ano, as famílias passam a ter acesso a todos os benefícios previstos pelo Programa Nacional de Reforma Agrária. "A assinatura dos contratos do Apoio Inicial marca o início desse processo de reconhecimento, que trará à comunidade os mesmos benefícios que o Incra disponibiliza aos agricultores assentados", explicou Sany Mota, chefe da Divisão de Ordenamento da Estrutura Fundiária do Incra em Sergipe.

Pelo Apoio Inicial, cada família receberá um crédito de R$ 5200,00, destinado a auxiliar na sua fixação e desenvolvimento dentro do quilombo.

Com o a assinatura dos contratos, Forras se torna a nona comunidade quilombola sergipana a ter famílias reconhecidas e contempladas com créditos pelo Incra somente este ano.

Ao todo, 1170 famílias foram beneficiadas pela autarquia, com um investimento total de cerca de R$ 7 milhões.

http://www.incra.gov.br/noticias/incra-celebra-novos-contratos-de-credi…

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.