VOLTAR

Grupo realiza ações de prevenção e combate à Covid-19 voltado para povos e comunidades tradicionais de Oriximiná

G1 Santarém — PA
Autor: G1 Santarém - PA
12 de jun de 2020

As ações começaram a ser realizadas neste mês, com a divulgação de vídeos em diversas redes sociais.

No município de Oriximiná, no oeste paraense, um grupo chamado "Pela Vida de Trombetas" realizando ações de prevenção e combate à Covid-19. As ações começaram a ser realizadas neste mês, com a divulgação de vídeos em diversas redes sociais.

A estudante universitária Áurea Sena, de 27 anos, moradora da comunidade quilombola do Boa Vista, localizada no Alto Trombetas, está à frente da campanha, entrevistando os pioneiros, lideranças e pessoas que fazem a história nos territórios quilombolas.

Iniciativa reúne instituições como o Ministério Público, associações quilombolas, ribeirinhas, indígenas, Universidade Federal Fluminense e a Mineração Rio do Norte (MRN).

Para o professor Marcelino Conti, diretor da unidade da Universidade Federal Fluminense (UFF), em Oriximiná, a iniciativa tem gerado um círculo restaurativo, onde as comunidades quilombolas, ribeirinhas e indígenas têm a oportunidade de serem ouvidas e de falar do que é importante para elas.

"Quando a comunicação é feita de um comunitário para outro comunitário, barreiras são quebradas e a receptividade é outra. No primeiro vídeo da campanha temos a participação da Tia Ormezinda, professora com mais de 35 anos no magistério, que alfabetizou quase todos da minha geração. A voz dela é reconhecida em qualquer lugar. A minha expectativa com esta campanha é que as pessoas façam aderência ao isolamento social, fiquem no quilombo, e que possamos colocar em prática a filosofia 'ubuntu', do saber viver coletivamente, um cuidando do outro", declarou.

Grupo 'Pela Vida de Trombetas'
O grupo "Pela Vida no Trombetas" foi criado em 26 de março, com o objetivo de elaborar material informativo de prevenção ao Covid-19, voltado aos povos e comunidades tradicionais do município de Oriximiná e região, além de verificar medidas preventivas para proteger as populações rurais, quilombolas e indígenas da região.

Compõem o Grupo representantes do (a):

Ministério Público do Estado do Pará (MPPA);
Ministério Público Federal (MPF);
Universidade Federal Fluminense (UFF);
Associação das Comunidades Remanescentes de Quilombos do Município de Oriximiná (ARQMO);
Associação das Comunidades Remanescentes de Quilombos do Alto Trombetas II (ACRQAT);
Associação das Comunidades Remanescentes de Quilombos do Boa Vista (ACRQBV);
Associação dos Moradores da Comunidade Remanescente de Quilombo de Cachoeira Porteira (AMOCREQ-CPT);
Associação das Comunidades da Gleba Trombetas e Gleba Sapucuá (ACOMTAGS);
Associação Mãe Domingas, Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio);
Fundação Nacional do Índio (Funai);
Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai);
Mineração Rio do Norte (MRN);
Projeto Quilombo.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.