VOLTAR

Grileiros e madeireiros estão detonando a floresta na fronteira Pará-Amazonas

A Crítica, p. C8
24 de fev de 2008

Grileiros e madeireiros estão detonando a floresta na fronteira Pará-Amazonas

Informações do Ibama dão conta de que uma frente de grilagem e roubo de madeira está em plena atividade nos municípios de Maués, Nhamundá, Parintins, Barreirinha e S. Sebastião do Uatumã.

Os fiscais encontraram pistas clandestinas, aviões, serrarias com grande quantidade de madeiras nobre já processada. De novembro de 2007 até agora o Ibama já aplicou mais de 3 milhões em multas contras as madeireiras, mas elas reincidem, assim que os fiscais deixam a área.

A área mais invadida é a região do alto Mamurú, fronteira de Parintins com os municipios paraenses de Aveiros e Juruti.

O paraguaio Migdonio Meireles e o brasileiro Avelino Spagnol, moradores de Coronel Sapucaia no Mato Grosso do SUL foram multados em 150 mil reais pelo Ibama. São acusados de grilagem e derrubadas ilegais. O paraense João Maria dos Quadros também foi multado poe desmatar sem licenciamento.

A TI Nhamundá Mapuera foi invadida por garimpeiros e madeireiros, que usaram até aviões anfíbios. Serrarias se instalaram na área e a empresa Marques Cavalcante Ltda foi multada.

Em Maués, os fiscais localizaram duas serrarias no rio Maués-Açu. Em S. Sebastuão do Uatumã, os agentes do Ibama destruiram um hotel de selva construídos por gruleiros.

A Crítica, 24/02/2008, p. C8

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.