VOLTAR

Governo brasileiro anuncia quatro novas areas de protecao ambiental

O Globo, Ciencia e Vida, p.36
04 de jun de 2004

Governo brasileiro anuncia quatro novas áreas de proteção ambiental
Luiza Damé
BRASÍLIA. Em comemoração à Semana Nacional do Meio Ambiente, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva assinou ontem decretos que estabelecem a criação de quatro novas áreas de conservação, num total de 500 mil hectares. São as reservas extrativistas de Capanã Grande, no Amazonas, e de Cururupu, no Maranhão; e as florestas nacionais do Cabedelo, na Paraíba, e de Piraí do Sul, no Paraná.
O presidente também instituiu comissões nacionais de Desenvolvimento Sustentável das Comunidades Tradicionais, do Programa de Prevenção, Preparação e Resposta Rápida a Acidentes com Produtos Químicos Perigosos e do Fórum Nacional de Áreas Protegidas. No anúncio das medidas, o presidente foi representado pelo ministro-chefe da Casa Civil, José Dirceu.
O programa de prevenção de acidentes com produtos químicos, chamado P2R2, foi preparado em parceria do Ministério do Meio Ambiente e outros órgãos federais, estaduais e municipais, com o objetivo de minimizar os efeitos de desastres.
A ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, assinou acordos com governos da Amazônia para implementação do Programa de Áreas Protegidas da Amazônia (Arpa), plano de proteção da biodiversidade amazônica, com duração prevista de dez anos.
Fundo para biodiversidade recebe US$ 1 milhão
Esse programa é financiado pelo Fundo de Áreas Protegidas (FAP), que terá US$ 1 milhão doados em parcelas iguais pela organização não-governamental WWF-Brasil e pelo Fundo para o Meio Ambiente Global (GEF).
A ministra também assinou portaria criando comissões de articulação da União, dos estados e dos municípios na área ambiental e lançou o Prêmio Chico Mendes 2004, além do carimbo dos Correios em comemoração aos 15 anos do Ibama. Marina Silva afirmou que a preservação dos recursos naturais brasileiros é uma tarefa de toda a sociedade:
— Cuidar do Brasil, em nosso governo, significa conservar e usar, de maneira responsável, a maior floresta tropical do mundo, com cerca de 550 milhões de hectares; o maior manancial hídrico com quase 12% da água superficial do mundo.

O Globo, 04/06/2004, p. 36

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.