VOLTAR

Gestor da APA Marinha do Litoral Centro e do PE Marinho da Laje de Santos é homenageado pela PM Ambiental

Fundação Florestal - www.fflorestal.sp.gov.br
19 de jan de 2010

O gestor da Área de Proteção Ambiental Marinha do Litoral Centro e do Parque Estadual Marinho da Laje de Santos, Marcos Buher Campolim, recebeu, em dezembro de 2009, a medalha "Cinquentenário da Polícia Ambiental". A homenagem foi uma iniciativa da Polícia Militar Ambiental (PMAmb) em reconhecimento pelo esforço investido por Campolim nas atividades desenvolvidas pela parceria entre a Fundação Florestal e a PMAmb. "Invisto muito em trabalhos de base, com contato direto com a tropa. Procuro estar sempre junto no planejamento e organização de palestras e ações de fiscalização, além de valorizar bastante o papel da Polícia Ambiental no Conselho Gestor", afirmou.

A medalha é a mais alta condecoração concedida pela PMAmb paulista e foi entregue a Campolim durante a cerimônia comemorativa dos 60 anos de criação da corporação policial, que contou com a participação do comandante da corporação coronel Ronaldo Severo Ramos.

Campolim tem 42 anos é oceanógrafo com especialização em Pesca e Aquicultura. Ele participou do grupo de técnicos da Fundação Florestal que atuou na implantação da Cooperativa dos Produtores de Ostras de Cananéia (COOPEROSTRA), trabalhou na Estação Ecológica da Jureia-Itatins e foi gestor do Parque Estadual da Ilha do Cardoso.

Saiba Mais
A APA Marinha do Litoral Centro tem uma área de 449.259,70 hectares e abrange os municípios de Bertioga, Guarujá, Santos, São Vicente, Praia Grande, Mongaguá, Itanhaém e Peruíbe - é a maior Unidade de Conservação Marinha do país. Os três setores em que se subdivide essa APA para efeitos de gestão cobrem distintas formações, sendo o de Bertioga e Guarujá correspondente a uma costa mais recortada, com trechos ainda bastante conservados ambientalmente, e ilhas próximas como do Arvoredo, das Cabras e da Moela.

Outro setor envolve o arquipélago do Parque Estadual Marinho da Laje de Santos e o terceiro se caracteriza pela correspondência com a planície sedimentar de Praia Grande até Peruíbe, englobando ilhas próximas à costa, como a Laje da Conceição, ou distantes como a Ilha da Queimada Grande. O estuário conta com diversas formações de manguezais, algumas em bom estado de conservação, o que é benéfico para a recuperação esperada das condições de qualidade ambiental inclusive para a baía de Santos.

O PE Marinho da Laje de Santos (primeiro e único parque marinho dentre as Unidades de Conservação do Estado de São Paulo) é um local de grande interesse para a conservação da diversidade biológica na costa paulista, uma vez que a ausência de outras formações rochosas ou ilhas em áreas próximas acarreta grande concentração de peixes de passagem e recifais na área.

O parque inclui não apenas a Laje de Santos, mas também parcéis (formações rochosas submersas) como o Parcel do Bandolim, das Âncoras, Brilhante, do Sul e Novo, além dos Rochedos conhecidos como Calhaus. A Laje de Santos é um dos principais pontos de mergulho e fotografia submarina do país devido a grande visibilidade que pode alcançar até 35 metros nos melhores dias.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.