VOLTAR

Gasoduto Brasil-Bolívia: Empresa investiga vazamento

Gazeta de Cuiabá-Cuiabá-MT
Autor: Sinézio Alcântara
15 de jan de 2004

Uma equipe de técnicos da Gasocidente está investigando um possível vazamento na tubulação do gasoduto Bolívia para Mato Grosso

Uma equipe de técnicos da Gasocidente está há três dias em Cáceres investigando um possível vazamento na tubulação do gasoduto que transporta o gás natural da Bolívia para Mato Grosso. O suposto vazamento foi denunciado por moradores próximos aos trechos 440 e 441, onde, segundo eles, estaria ocorrendo mortandade de peixe e aves. Além da denúncia dos moradores, filmagens feitas por uma equipe de televisão local mostraram um corredor de borbulhos na água de uma baía na mesma direção da tubulação do gasoduto.

A presidência da Fundação Estadual do Meio Ambiente (Fema) em Cuiabá foi informada ontem sobre a suspeita do acidente. A diretora regional da fundação em Cáceres, Helizângela Pouso Gomes, disse que estaria enviando uma equipe de fiscais para o local. Apesar de não dispor de nenhum tipo de equipamento capaz de constatar qualquer irregularidade, a intenção, segundo Helizângela, seria inspecionar a área e, em caso de confirmação da suspeita, solicitar apoio para apurar o fato.

A empresa contesta a denúncia. Porém, designou uma equipe de técnicos para o local, onde já vistoriaram uma extensão de 30 quilômetros do gasoduto na região. Em nota distribuída à imprensa, a empresa afirma que a equipe permanece na área para controle e averiguações de qualquer irregularidade. A informação foi prestada pelo assessor de comunicação da Gasocidente, Jonas da Silva, que em nota distribuída a imprensa, afirmou que "as informações são infundadas" e que "a empresa opera o gasoduto com total segurança, sem nenhum registro de incidente".

A nota diz ainda que "as operações do gasoduto continuam normalmente sem nenhuma interrupção e atendem ao objetivo de transportar gás natural da Bolívia para abastecer as usinas termelétricas de Cuiabá". Explica ainda que, a Gasocidente tem controle em tempo real do transporte do gás para Mato Grosso e que uma variação de pressão é detectada e informada ao sistema de monitoramento simultaneamente em Cuiabá e na Bolívia. "Monitoramentos minuto-a-minuto são informados eletronicamente à empresa nos dois locais", assegura.

Apenas algumas autoridades ligadas ao meio ambiente se manifestaram sobre o assunto. Porém, é grande a preocupação da população com um acidente ambiental na região. A área onde foi constatado o suposto vazamento localiza-se a poucos quilômetros acima do local onde é feita a captação de água do rio Paraguai para abastecimento da população.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.