VOLTAR

Garimpeiros extraem ouro de caiapós e pagam ao cacique

Jornal do Brasil, Rio de Janeiro - RJ
29 de Mai de 1983

De três a cinco aviões pousam diariamente na aldeia Kikretum, dos kayapó, no Rio Branco, sul do Pará, onde 3 mil garimpeiros extraem ouro sem mais controle além do realizado pelos seis chefes contratados pelo cacique Pombo, a quem é paga uma média de Cr$ 5 milhões mensais de royalties. Os técnicos da Funi garantem que não há evasão de ouro, mas o que mais os preocupa é o estado sanitário dos índios, que pode levar, futuramente, a surtos incontroláveis de doenças infecto-contagiosas.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.