VOLTAR

Funasa realiza ação de combate à tuberculose em aldeia jamamadi

Página 20 - http://www.pagina20.com.br/
29 de mai de 2009

Operação envolveu busca a doença e treinamento de profissionais

Mais de 20 profissionais da Fundação Nacional de Saúde (Funasa), que trabalham na assistência aos povos indígenas, participaram, durante sete dias, de uma ação especial de busca e combate à tuberculose. A operação foi realizada na aldeia Santo Antônio, da etnia jamamadi, localizada no município de Boca do Acre (AM). A suspeita da existência de casos de tuberculose ganglionar (que atinge os gânglios linfáticos) entre os moradores da aldeia motivou a iniciativa. A busca foi pela forma pulmonar da doença, que tem maior transmissibilidade.

A ação foi realizada entre os dias 18 e 25 e contou com a participação de profissionais de cinco estados e do Distrito Federal. Dentre os participantes, a responsável pelo programa de tuberculose do Departamento de Saúde Indígena (Desai) da Funasa em Brasília (DF), Cleocy Mendes Alves. Também o médico pneumologista Luis Carlos Corrêa Alves, da Fundação Instituto Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Rio de Janeiro. A farmacêutica-bioquímica Eunice Atsuko Totumi Cunha, do Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen) do Mato Grosso do Sul. E ainda a enfermeira Jurema Monteiro e o técnico em radiologia Perseverando Melo, ambos da Funasa em Roraima.

O Distrito Sanitário Especial Indígena do Alto Rio Purus (Dsei-Arpu), que tem sede em Rio Branco, coordenou a ação enviando a farmacêutica-bioquímica Kamila Lessa de Medeiros. Participaram enfermeiros e técnicos em enfermagem de todos os pólos bases do Dsei-Arpu no Acre (Sena Madureira, Manuel Urbano, Assis Brasil e Santa Rosa) e no Amazonas (Boca do Acre e Pauní), além da Casa de Apoio à Saúde do Índio (Casai) em Rio Branco. Ainda, o médico do pólo base de Boca do Acre, Boris Chrystian Garcia.

Durante a ação, foram realizadas 53 radiografias, 43 exames de baciloscopia, 43 exames de cultura e um exame de hanseníase, dentre os 186 indígenas jamamadis da aldeia Santo Antônio. A equipe multidisciplinar do pólo base de Boca do Acre realizou consultas médicas, distribuição de medicamentos e exames de malária.

O cacique Valdemar Pereira da Silva Jamamadi (Anupi), 54, disse que a ação foi de grande importância para o seu povo. Segundo ele, os exames vão detectar se existem ou não casos de tuberculose e, se confirmado, o tratamento evitará que a doença se espalhe entre os moradores da aldeia.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.