VOLTAR

Funasa nega responsabilidade por crise na saúde do Vale do Javari e diz estar atuante

Radiobrás
Autor: Sabrina Craide
16 de abr de 2007

A Fundação Nacional de Saúde (Funasa) rebateu, hoje 16), por meio de nota, as críticas que lideranças indígenas vêm fazendo à atuação do órgão na região da Terra Indígena Vale do Javari. A fundação informou que todos os indígenas infectados com hepatite B na reserva foram encaminhados na última sexta-feira para o município de Atalaia do Norte (AM), para novos exames e, conforme o resultado, terão tratamento garantido.

A fundação informou ainda ter realizado no ano passado a primeira etapa do projeto "SOS Javari", para atender as comunidades indígenas da área, que enfrentam problemas com hepatite e malária. A Funasa afirma que o alto índice de indígenas do Javari que tiveram contato com o vírus da hepatite B está relacionado à proximidade dos índios com habitantes brancos do município de Atalaia do Norte.

No ano passado, foram realizados, de acordo com a Funasa, inquéritos sorológicos para detectar doenças e promover ações de cura e prevenção contra hepatite (A, B, C e Delta), malária, doenças sexualmente transmissíveis, tuberculose, pneumonia, colesterol e diabetes. Além do inquérito sorológico, a equipe médica também é responsável pela vacinação dos indivíduos e da prevenção das doenças, através de ações de educação e saúde.

A Funasa informa ainda que está tomando outras providências para resolver a crise na saúde indígena na região. "Entre as ações programadas, destacam-se a aquisição de geladeiras solares, a ampliação e manutenção de equipes médicas na área e as ações de Educação e Saúde nas aldeias de forma continuada. É importante ressaltar que todas as atividades realizadas contam com o apoio de lideranças indígenas", informa a nota.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.