VOLTAR

Funasa esclarece surto entre Yanomami na fronteira

Folha de Boa Vista - http://www.folhabv.com.br/fbv/noticia.php?id=73687
05 de Nov de 2009

A respeito das informações solicitadas e veiculadas por vários órgãos de imprensa sobre a ocorrência da nova gripe Influenza A (H1N1) entre os Yanomami na fronteira do Brasil com a Venezuela, a Assessoria de Comunicação e Educação em Saúde da Fundação Nacional de Saúde (Funasa) enviou nota a redação da Folha para esclarecer que o surto não atingiu os índios do lado brasileiro.

A Funasa, por meio do Departamento de Saúde Indígena (Desai) da Instituição já entrou em contato com o Ministério da Saúde venezuelano. A informação recebida foi a de que, após um evento esportivo ocorrido na serra de Parima, entre os Yanomami daquela região, foi constatado um surto de síndrome gripal aguda acometendo os indígenas e a região onde ocorreu o surto, apesar de situada na fronteira, fica distante do lado brasileiro.

Segundo o Ministério da Saúde da Venezuela, foi deflagrada uma intensificação da vigilância de doenças respiratórias agudas graves, com deslocamento de médicos por via aérea, tendo sido registrada a ocorrência de cinco óbitos entre os índios, entretanto sem confirmação diagnóstica para H1N1.

O Ministério da Saúde do país vizinho também determinou a distribuição de cerca de 5 mil antivirais para evitar uma possível evolução dos casos. Posteriormente, foram registrados outros dois óbitos cujas análises biológicas ainda não haviam sido processadas para a confirmação do diagnóstico para H1N1, embora se tratem de casos suspeitos.

No Brasil, o Distrito Sanitário Especial Indígena (Dsei) Yanomami já dispõe de tratamento para os casos suspeitos de síndrome respiratória aguda grave e vem intensificando as ações de vigilância de síndrome gripal como medida de prevenção e controle da epidemia pela Influenza A (1n1), conforme recomendado pelas diretrizes do Ministério da Saúde do Brasil.

O Dsei Yanomami também está providenciando a tradução das recomendações técnicas sobre as medidas de prevenção do H1N1. Deverá ser produzida, já na próxima semana, uma cartilha bilingue nas línguas Yanomami e Sacomã, e realizada, nos próximos dias, uma reunião com todos os integrantes do Conselho Local de Saúde do Dsei Yanomami, a fim de capacitar as lideranças e os profissionais de saúde na região de fronteira entre o Brasil e a Venezuela.

Os Polos-Base que estão sob vigilância em relação à circulação do vírus são Xitei e Homoxi, em Roraima; e Maturacá e Santa Izabel, no Amazonas.

O Ministério da Saúde da Venezuela prontificou-se a informar à Funasa sobre as comunidades afetadas na região de fronteira do lado venezuelano, para identificação das comunidades em território brasileiro mais próximo da área possível de circulação do vírus.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.