VOLTAR

Funai vê e critica trabalho da missão Catrimani

A Crítica (Manaus - AM)
26 de mar de 1975

O presidente da Funai, o general Ismarth de Araújo, não ficou satisfeito com o trabalho da Missão Catrimani junto aos Yanomami. Lhe incomodou especialmente o fato de que, ainda que contatados há uma década, permaneçam vivendo em malocas, sem roupa, e alguns estão doentes. Ele pretende demarcar a reserva Yanomami assim que o grupo que atua na área voltar à Manaus.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.