VOLTAR

Funai fala em busca de soluções e em interesses escusos

Valor: https://valor.globo.com
Autor: Daniela Chiaretti
30 de Ago de 2021

Em nota da assessoria de imprensa, a Funai rebateu as acusações. "A Funai esclarece que, em vez de trabalhar com assertivas falsas, tem atuado, efetivamente, com medidas práticas de apoio à população indígena". Cita a entrega de 700 mil cestas básicas a famílias indígenas desde o início da pandemia.

"A atual gestão da Funai tem trabalhado firmemente para resolver uma série de problemas, fruto de décadas de fracasso da política indigenista brasileira que no passado era guiada por interesses escusos, falta de transparência e forte presença de ongs. Um cenário dominado por intermediários, no qual os indígenas eram feitos de massa de manobra." Segue a nota: "A Funai reitera que está, sim, a serviço dos indígenas."

Em nota anterior sobre as ações na TI Yanomami, a assessoria disse que o órgão "permanece realizando as atividades de sua atribuição" nas quatro bases de proteção etnoambiental (Bapes) na terra indígena. "Todas essas unidades são responsáveis por ações permanentes e contínuas de proteção, fiscalização e vigilância territorial, além de coibição de ilícitos, controle de acesso, acompanhamento de ações de saúde, entre outras atividades."

A Funai disse ter investido R$ 17,2 milhões em ações de fiscalização em áreas indígenas no país durante a pandemia. "As atividades são fundamentais para coibir ilícitos como garimpo e extração ilegal de madeira e garantir a segurança das comunidades, prevenindo o contágio pela covid."

Sobre o marco temporal a Funai disse, também em nota, que "o STF, assim como o Congresso Nacional, são soberanos para a fixação dos marcos regulatórios da política pública para indígenas no Brasil. O papel da Funai é dar execução à essa política, sempre com atenção ao princípio da legalidade."

A Polícia Federal realizou há poucos dias uma ação para expulsar garimpeiros da TI Kayapó, no Pará. Desativou alguns garimpos, apreendeu 26 escavadeiras e três caminhões. No fim de junho, fez a terceira operação do ano na TI Yanomami. Agentes inutilizaram 14 geradores, 30 bombas, cinco balsas, quatro barcos, um helicóptero e apreenderam 3.500 litros de combustível e dois quilos de mercúrio em 20 garimpos. Participaram equipes do Ibama, Força Nacional, FAB, Exército e Secretaria Especial de Saúde Indígena.

Fonte: https://valor.globo.com/brasil/noticia/2021/08/30/funai-fala-em-busca-d…

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.