VOLTAR

Funai explica a posição sobre a área dos Ticuna

A Crítica (Manaus-AM)
10 de mai de 1988

O assessor especial da Funai justificou a decisão de proibir a entrada do Centro de Documentação e Pesquisa do Alto Solimões na área indígena dos Ticuna, segundo ele, os integrantes que representam a entidade no alto Solimões provocavam os índios contra a política indígena do governo.
A proibição se deu a partir de denúncias que surgiram durante a investigação do massacre do Capacete, que ocorreu no dia 28 de março de 1988. Tais denúncias acusavam entidades relacionadas com a causa indígena de ter fomentado o conflito entre os índios e brancos. Dentre as entidades acusadas estavam o Centro de Documentação e Pesquisa do Alto Solimões (Maguta) e o Conselho Indigenista Missonário (Cimi), ambas atuantes na região do alto Solimões.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.