VOLTAR

Funai considera prisão de Juruna por caiabis como "fato inusitado"

Jornal do Brasil (Rio de Janeiro-RJ)
01 de abr de 1985

A prisão do deputado Mário Juruna (PDT-RJ), índio Xavante, pelos índios Kaiabi, no Mato Grosso, mantendo-o como refém durante durante três horas, foi considerada pelo presidente da Funai, Nelson Marabuto, um "fato inusitado". Juruna estava tentando fazer com que os índios abrissem mão de sua resistência contra a hidrelétrica que seria construída no rio dos Peixes.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.