VOLTAR

Funai admite erros e elogia a Pastoral

O Estado de S.Paulo (São Paulo - SP)
17 de nov de 1976

Ao comentar o documento divulgado pela CNBB, o presidente da Funai, general Ismarth, afirmou que os religiosos trataram da questão indígena com bastante ponderação. Ismarth admitiu parte das críticas feitas pelos bispos, ao comentar que algumas regiões do Brasil, como o Acre, os indígenas realmente estão desassistidos. Além disso, o apoio dado pela CNBB ao trabalho do Cimi e da Pastoral da Terra é de alto significado para todos os religiosos e leigos engajados nas questões indígenas e camponesas.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.