VOLTAR

Flamarion está licenciado do PT desde o ano passado

Brasil Norte-Boa Vista-RR
16 de jan de 2004

Não faz mais sentido a permanência do governador Flamarion no PT. Vai ser difícil e desgastante a ele próprio contemporizar o acirramento da cizânia política depois que a bancada federal em peso (tirando o senador Jucá) decretou guerra ao Palácio do Planalto, por conta da questão indígena.

Licenciado do Partido, desde o ano passado, Flamarion tem a noção exata do que pode representar para ele manter-se aliado nas fileiras petistas, uma organização que declarou apoio à causa dos índios sem ao menos consultar a outra parte interessadas.
A indulgência não pode jamais anular a sensatez. O governador é representante legítimo do povo roraimense, portanto temo dever der servir a este povo. Está mais que patente que os aliados do presidente Lula - com mandatos ou não -, defendem a reserva de Raposa em área contínua e não há sinais que a situação possa ser revertida, elevando a possibilidade de recrudescimento dos conflitos na área.
Flamarion ouviu de deputados e senadores na reunião da terça-feira, em seu gabinete, que a oposição ao governo de Lula é real, martelo batido. É a lei da reciprocidade: "se o governo age indiferente ao nosso pleito, por quê então devotar qualquer apoio a esse governo?", questiona, indignado o senador Mozarildo.
"Fomos enganados e portanto devemos adotar o mesmo princípio", adianta o senador Augusto Botelho. Para o deputado Luciano Castro a causa é de honra e moral: "se continuarmos alinhados aos desejos do governo de Lula, estaríamos traindo o povo de Roraima".
O ministro Zé Dirceu foi informado da decisão roraimense e ficou preocupado com a perda do apoio, justo agora que o governo necessita de muitos votos para aprovar matérias pendentes na convocação extraordinária do Congresso.

PT apóia
Segundo a Funai, no seu site (www.funai.gov.br), a homologação da Terra Indígena Raposa Serra do Sol em faixa contínua, tem o apoio do Partido dos Trabalhadores, que divulgou a decisão.
O presidente regional do PT, deputado estadual Titonho BeZerra defendeu a solução imediata da polêmica questão.
Em nota oficial a direção petista afirmou que "será melhor para todas as comunidades indígenas daquela região, bem como para o conjunto da sociedade roraimense que poderá começar a elaborar projetos de sustentabilidade financeira contemplando todos os segmentos do estado".

Será que vem?
Lideranças indígenas aguardam ansiosas a chegada do grupo interministerial, que estudará as áreas para a transferência dos não-índios, ocupantes de Raposa.
Acontece que esse grupo já marcou e desmarcou três vindas a Roraima.
Pior mesmo só o presidente do PT, Zé Genuino, que no ano passado proter vir aqui 4 vezes e até agora nada.
Lá vem o Bastos!
O ministro Márcio Thomaz Bastos não sai de cena.
Vai apresentar aos fazendeiros um pacote de compensações para tentar convencer fazendeiros a retirar-se da área de Raposa.
Duvido que obtenha êxito.

Quase certo
Romero Jucá, senador do PMDB que relatou a Reforma Tributária, está com um pé no Ministério Lula.
Provavelmente, na Integração Nacional. Ou na Previdência.
Ontem, as costuras do partido com o Planalto caminhavam nessa direção.
Talvez por isso Jucá esteja imiscuindo-se de acompanhar o resto da bancada na cruzada contra o governo de Lula.

Sem resposta
A coluna recebe e-mails seguidos de leitores que gostariam de saber sobre de que lado está a prefeita Teresa nessa turbulenta questão de Raposa.
Integrante de um seleto time de lideranças políticas estaduais, deveria se interessar pelo assunto.
Difícil vai ser encontrar uma resposta para tantos questionamentos. É que a prefeita simplesmente não pára mais na cidade que governa.

Exagero petista
A arrogância de alguns dirigentes do PT de Roraima tem causado embaraços à muita gente no interior do Estado.
Embalados no ritmo da eleição municipal deste ano, tentam formar base eleitoral na marra.
Absurdo, mas até vice-diretor de escola está sendo indicado pela cúpula petista.

Outra derrota
O ex-deputado Flávio Chaves tenta em Brasília suspender a cassação de seu mandato.
Mas tem sofrido derrotas sucessivas. A mais recente é que o ministro Barros Monteiro negou a Medida Cautelar proposta pelo por ele.
Ficou mantida a decisão do Tribunal Regional Eleitoral em que cassou o mandato por unanimidade.

Boa notícia
As perspectivas de Roraima para este ano são bastante animadoras.
A Receita Federal informou que a arrecadação federal cresceu quase R$ 2 bilhões a mais que no ano passado.
Isso significa que o repasse do FPE de Roraima, sua principal fonte arrecadadora, também será elevado.

Mais concurso
O governador Flamarion anunciará hoje, em entrevista coletiva, a partir das 9h, no Palácio Hélio Campos, o lançamento do Edital para o concurso público da Procuradoria Geral do Estado de Roraima.
O concurso oferece 38 vagas de procurador, sendo que quatro delas para deficientes físicos.
O CESPE, entidade da Universidade de Brasília, é que vem realizar as provas.

Regulamento
As provas do concurso de procurador serão dos tipos objetivas e discursivas. E eliminatórias.
As inscrições terão início dia 26 de janeiro e encerrarão em 6 de fevereiro. As provas serão realizadas dia 14 de março.
Nos dias 26 e 27 de abril serão entregues os títulos, que será prova apenas classificatória.

Julgamento
O TRE deve julgar ainda neste semestre uma ação contra o ex-governador Ottomar Pinto por abuso do poder econômico.
O processo tramitava no Tribunal Superior Eleitoral, mas foi despachado de volta para Roraima.
A decisão foi da ministra Ellen Gracie, que o remeteu para Roraima onde será julgado.

Prevenção
O Ibama intensifica a partir da próxima segunda-feira (19) o plano de "Gerenciamento Comunitário do Fogo" em Roraima.
A ação de prevenção de incêndios e produção agropecuária sem fogo vai ter participação efetiva da população.
Com a implementação deste plano o órgão segue a tendência mundial de engajamento comunitário nas práticas de prevenção, de gestão e de sustentabilidade ambiental.
A iniciativa do Ibama, por intermédio do Proarco (Programa de Prevenção e Controle de Queimadas e Incêndios Florestais), começa apenas em Roraima, mas servirá de modelo aos demais Estados da Amazônia Legal.

Vulnerável
Roraima foi escolhido para piloto do "Plano de Mobilização Social - Prevenção e Combate a Incêndios Florestais" por ser o Estado mais vulnerável a incêndios na Amazônia Legal.
A prática de queima descontrolada nas atividades produtivas do Estado, agravada pelo clima extremamente seco de fevereiro ao início de abril, provocava graves desastres ambientais.
Os trabalhos começaram em setembro e deveriam ter sido intensificados no último dia 12, mas acabaram atrasados pelos protestos de índios e produtores rurais contra a demarcação das terras da reserva Raposa Serra do Sol, que bloquearam as principais estradas de Roraima.

CURTAS
O VIDENTE Landi Sobral previu ontem que as consequências da operação gafanhoto ainda vão sujar muito a imagem de Roraima.
ASSEGUROU que serão presos mais 64 envolvidos nesse e em outros escândalos e que Roraima passará por vexames políticos por mais três anos seguidos.
SE A PREMONIÇÃO de fato acontecer, vai faltar lugar nas prisões locais para acomodar tanta gente.
SEGUNDO o FonteBrasil - citando fontes da Polícia Federal - o juiz Helder Girão até solicitou os espaços nas penitenciárias de Boa Vista e de São Luiz do Anauá.
A NOVA versão da operação Praga do Egito vai investigar desta vez outros ramos da sociedade. Mas alguns políticos renomados também cairão na rede.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.