VOLTAR

Fiscalização de terras indígenas em debate

Página 20 - http://www.pagina20.com.br/
Autor: Leandro Chaves
08 de jul de 2010

Para discutir e trocar experiências sobre os problemas de invasões de terras indígenas do Acre, índios de diversas etnias do Estado estão reunidos na capital desde terça-feira. O primeiro Seminário de Vigilância e Fiscalização em Terras Indígenas do Acre acontece até sexta-feira no Centro de Formação dos Povos da Floresta.

O evento é organizado pela Associação do Movimento dos Agentes Agroflorestais Indígenas do Acre (Amaaiac). Reforçar o papel da organização e dos agentes indígenas na fiscalização e vigilância de suas terras é outro objetivo do encontro, realizado em parceria com a Comissão Pró-Índio do Acre (CPI/AC).

Participam do seminário 30 agentes agroflorestais indígenas e 20 representantes de terras indígenas dos municípios Santa Rosa, Marechal Thaumaturgo, Cruzeiro do Sul, Assis Brasil, Jordão, Tarauacá, Feijó e Porto Walter.

Os participantes do evento pertencem aos povos Kaxinawá, Yawanawá, Ashaninka, Katukina, Poyanawa, Manchineri e Shawadawa. Cada etnia vai relatar suas experiências relacionadas à proteção de suas terras, além de promoverem momentos culturais típicos dos povos indígenas, como danças e músicas.

A responsabilidade governamental e a ineficiência dos órgãos de fiscalização também serão abordadas durante a programação. Para esse debate, participam a Fundação Nacional do Índio (Funai), o Ibama, a Polícia Federal, o Ministério Público Federal, o Incra e demais órgãos do governo Federal e Estadual.

As pressões causadas às terras indígenas pelos grandes projetos de infra-estrutura na região serão debatidas pelo antropólogo Marcelo Piadrafita. Aproveitando a presença destes órgãos, serão apresentadas alternativas para buscar, junto aos índios, resolver os problemas das invasões nas terras.

http://www.pagina20.com.br/index.php?option=com_content&task=view&id=15…

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.