VOLTAR

Ex-secretário do Cimi acha que emancipação do índio visa apenas terras

Jornal do Brasil (Rio de Janeiro - RJ)
16 de fev de 1978

O ex-secretário geral do Cimi, padre Antônio Iasi, condenou o projeto de emancipação indígena do ministro Rangel Reis, declarando que os que defendem a emancipação, estão realmente preocupados com a emancipação das terras dos índios. Para o padre, como de costume, o projeto será entregue pronto à Funai, em forma de lei, sem a participação do órgão, dos indígenas, nem de setores indigenistas. Ele acredita que, se emancipados, o destino dos indígenas será e marginalização. O coordenador do Incra, por sua vez, criticou a postura da Funai nos conflitos fundiários, afirmando que o órgão não defende as terras indígenas e não tenta retirar os invasores. Ele se referiu especificamente ao conflito existente na TI Rio das Cobras, onde 2000 indígenas Kaingang e Guarani Mbya e 500 famílias de posseiros ameaçam luta armada.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.