VOLTAR

Estudantes de Odontologia da Cathedral realizam ação de saúde na Casa do Índio

Folha de Boa Vista
18 de abr de 2008

Um grupo de 40 estudantes do curso de Odontologia das Faculdades Cathedral promoveu ontem, na Casa de Saúde do Índio (Casai), a I Ação Integrada de Saúde Bucal. O evento, que atendeu 250 indígenas internos da Casai, fez parte da programação alusiva ao Dia do Índio e contou com a parceria da Coordenação Regional (Core/RR) da Fundação Nacional de Saúde (Funasa) e o curso de Odontologia das Faculdades Cathedral.

Durante a ação, além de atendimento odontológico, os pacientes da casa receberam orientações sobre como fazer a escovação de forma correta, exibição de vídeos informativos; palestras e vídeos educativos sobre a prevenção e promoção da saúde com a difusão de hábitos saudáveis de higiene; demonstração e orientação sobre alimentos saudáveis e escovação dentária supervisionada. Alguns indígenas tiveram contato com a escova de dente e o creme dental pela primeira vez, durante a ação. 100 escovas e 100 tubos de creme dental foram distribuídos entre eles.

O objetivo da ação, de acordo com a assistente em saúde da Casai, Ângela Maria, é incentivar o hábito da escovação entre os indígenas e ensiná-los a prevenção de doenças. Ângela Maria explicou que quando chegam à Casa de Saúde, os indígenas passam por uma triagem e são atendidos por um dos quatro odontólogos que fazem atendimento no local. São realizados serviços de prevenção, restauração, profilaxia, cirurgia e tratamento de canal.

A programação alusiva ao Dia do Índio na Casai tem continuidade hoje com a realização de atividades recreativas e jogos, pela manhã. Às 15h, será realizada pela assistente social do INSS, Célia Maria Bezerra, uma palestra sobre os direitos previdenciários dos indígenas.

ATENDIMENTOS - A Casa de Saúde do Índio (Casai) presta serviços de atendimento aos indígenas do Distrito Leste e Distrito Yanomami desde 1976. A unidade funciona na região de Monte Cristo desde 1982. De acordo com a diretora da Casa de Saúde, Irmã Auristela Stinghen, atualmente são realizados uma média de 360 atendimentos diários.

O Distrito Leste é formado pelas etnias Patamona, Wai-Wai, Taurepang, Macuxi, Wapixana e Ingaricó. O Distrito Yanomami, pelas etnias Yanomami, Sanumã, Yekuana e Xiri-Xana. O atendimento ofertado aos indígenas, de acordo com a Irmã Auristela, é feito de forma a respeitar os costumes de cada etnia, principalmente quando são pacientes yanomami que não se misturam muito com os demais.

A unidade dispõe de clínico geral, cardiologista, pediatra, ginecologista, dermatologista, pneumologista e gastroenterologista. As enfermarias são divididas por etnias e durante o atendimento um intérprete acompanha o médico. O tempo de permanência dos pacientes na Casai, no caso dos Yanomami varia de 18 a 20 dias.

Já no caso dos pacientes do Distrito Leste, de 14 a 15 dias. A alimentação servida para os pacientes e acompanhantes também é feita de acordo com os costumes de cada etnia.

Para atender melhor aos indígenas os profissionais que trabalham na Casa de Saúde estão recebendo um curso de língua Yanomami. O primeiro módulo do treinamento já foi concluído e o segundo terá início no mês de maio.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.