VOLTAR

Estado de Rondônia reduz em mais de 79% os focos de calor em agosto

Rondonoticias - www.rondonoticias.com.br
11 de set de 2009

A Secretaria de Estado do Desenvolvimento Ambiental (Sedam) apresentou o relatório de levantamento dos focos de calor no Estado de Rondônia, monitorados no mês de agosto de 2009 e comparado aos dados coletados no mesmo período de 2007 e 2008. Estes dados são disponibilizados diariamente pelo CPTEC/INPE, via internet, os quais são coletados e armazenados em uma base de dados da Gerência de Geociência da SEDAM, sendo estes ferramentas de apoio a ações de monitoramento e fiscalização da SEDAM.

De acordo com o coordenador de geociências, Marcelo Gama, no mês de agosto de 2009 foi verificado em todo o Estado de Rondônia 946 focos de calor, representando uma redução de mais de 79 % no número de focos de calor em relação ao mesmo período do ano de 2008 e mais de 89 % em relação a 2007.

Com relação às Unidades de Conservação Federal, no mês de agosto de 2009 foram detectados 96 focos de calor, representando uma redução de mais de 82% no número total de focos de calor em relação ao mesmo período de 2008, sendo a Flona do Bom Futuro a que apresentou o maior número de focos (63 focos) seguidos do Parque Nacional dos Campos Amazônicos com 8 focos de calor.

Nas Unidades de Conservação Estaduais, durante o mês de agosto de 2009, foram detectados 77 focos de calor representando uma redução de mais de 50% em relação ao mesmo período de 2008. A Resex Jaci Paraná foi a que apresentou maior número de focos de calor, sendo responsável por 87% do total monitorados em todas as unidades de conservação estadual, seguido pela Floresta Estadual de Rendimento Sustentável com 5% dos focos.

Estes dados mostram que o trabalho do Comitê de Combate a Queimadas está surtindo efeito no Estado, aproximando o objetivo da Sedam que é zerar a queimada em Rondônia.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.