VOLTAR

Esec Tupiniquins dá curso sobre interpretação ambiental

ICMBio - www.icmbio.gov.br
17 de nov de 2009

A Estação Ecológica (Esec) dos Tupiniquins, em São Paulo, e a Área de Relevante Interesse Ecológico (Arie) das Ilhas da Queimada Grande e da Queimada Pequena, ambas administradas pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), ministraram um curso de capacitação para a interpretação ambiental na comunidade de Itanhaém.

O curso formou um grupo de intérpretes ambientais dos ecossistemas naturais do município, que, a partir de agora, poderão realizar ecoturismo receptivo, através da "leitura" desses ambientes para o público visitante. Além disso, eles poderão dar palestras sobre as ilhas da região, incluídas ou não nas unidades de conservação.

O curso foi realizado entre 26 e 31 de outubro e teve carga horária de 50 horas. As 30 vagas foram distribuídas entre entidades parceiras, que fizeram uma pré-seleção, e os técnicos da Esec dos Tupiniquins, que escolheram alunos por meio de entrevistas.

Constaram do programa do curso palestras sobre as ilhas da Esec dos Tupiniquins e da Arie da Queimada Grande, o projeto Rio Itanhaém Lixo Zero, ecossistemas marinhos e costeiros, primeiros socorros, legislação municipal de turismo, ecoturismo, noções básicas de segurança em trilha, legislação ambiental e atendimento ao público.

Na parte prática, houve saídas de campo para o Morro do Sapucaitava, visita de barco ao Rio Itanhaém e ao Rio Preto, para a Aldeia Indígena Piaçaguera, para a passarela da Cama de Anchieta e para as trilhas da Estação Ambiental São Camilo.

Como avaliação, os alunos se dividiram em grupos e estão se preparando para, até o final do mês de novembro, organizarem turmas e aliarem seus conhecimentos de monitoria e interpretação ambiental a esses grupos convidados e aos organizadores do curso. Assim, já estão na prática exercendo o atendimento em educação ambiental e ecoturismo.

A expectativa é que esse grupo capacitado continue trabalhando na temporada com os turistas e durante o período letivo nas escolas, disseminando conceitos de preservação, divulgando a importância das unidades de conservação para a proteção das espécies e produzindo alternativas de sustentabilidade.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.