VOLTAR

A era da autodemarcação 1*

Revista Veja-São Paulo-SP
Autor: Guga Sampaio
06 de ago de 2003

Cansados de ouvir da FUNAI que a demarcação de suas terras seria feita - uma promessa há duas décadas renovada , os índios denis, do amazonas, concluíram na semana passada dois anos de trabalho de demarcação de suas terras. São léguas e léguas do tamanho de meia Bélgica. Eles ignoraram a FUNAI e pela primeira vez na história do país iniciaram o trabalho antes da emissão de ordem oficial.

A decisão dos índios denis foi tomada depois que ativistas do Greenpeace descobriram que 10% de seu território era considerado de propriedade de uma madereira da Malásia.

* A notícia acima merece alguns esclarecimentos:

A demarcação da Terra Indígena Deni foi realizada de forma inteiramente legal, ou seja, após relatório antropológico de identificação e delimitação e após POrtaria do Ministério da Justiça determinando a sua demarcação. Os índios, com apoio do 'Greenpeace', apenas se adiantaram à Funai nos trabalhos físicos da demarcação. Estes trabalhos, contudo, foram afinal supervisionados e convalidados pela Funai.

A informação sobre a madereira da Malásia (provavelmente de capital
britânico) é correta.

Guga Sampaio
Coordenador Executivo

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.