VOLTAR

Engenheiro chefe da "Transcon" não crê no massacre Atroari

O Jornal (Manaus - AM)
27 de nov de 1968

Engenheiro chefe da empresa "Transcon" relata seu contato com os índios Waimiri Atroari.

A empresa foi responsável pelo estudo da região onde a BR 174 continuaria a ser construída e no percurso desse estudo o engenheiro conviveu com os índios e até encontrou com o Padre Calleri e sua expedição de pacificação dos Waimiri Atroari.

Contou que o comandante do seu grupo foi convidado pelo tuxáua "Maroaca" a visitar sua maloca. Nesta ocasião os dois trocaram presentes. O comandante negou que "Maroaca" fosse um branco infiltrado entre os índios.

Para o engenheiro não há possibilidade de a expedição do padre ter sido massacrada. Ele crê que o grupo deve estar perdido na floresta ou sendo conduzido pelos índios à outras malocas.

Notícia também discorre sobre uma senhora que por ter chegado atrasada na reunião da expedição do padre Calleri, acabou não embarcando com o grupo.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.