VOLTAR

Encontro Brasil-Peru busca reconhecimento e proteção de territórios de índios isolados

Blog da Amazônia por Altino Machado - http://blogdaamazonia.blog.terra.com.br/
Autor: Altino Machado
02 de dez de 2009

Antropólogos brasileiros e peruanos estarão reunidos nesta quinta-feira, 3, em Lima, numa conferência sobre metodologia de investigação de território de povos indígenas em isolamento voluntário. A iniciativa partiu da equipe do Centro de Trabalho Indigenista (CTI), que trabalha na região do Vale do Javari (AM), na fronteira com o Peru.

- Urge reconhecer oficialmente os territórios dos povos indígenas em isolamento voluntário para garantir sua integridade - afirma Gilberto Azanha, diretor do CTI.

Brasil e Peru compartilham amplos espaços da Amazônia habitados por povos indígenas em isolamento, também conhecidos como não contatados, que recusam relações de interação com estranhos, mantendo-se em isolamento cultural e geográfico, assim como altos níveis de autonomia.

Existem pelo menos quatorze povos em isolamento voluntário no Peru. Um dos principais entraves do governo do presidente peruano Alan García é reconhecer a existência dos povos em isolamento voluntário e conseqüentemente seus territórios.

Nunca foi o pensamento nem de brasileiros nem dos peruanos que defendem os direitos dos povos indígenas e dos isolados manter contato com isolados. Ao contrário, a conferência tem por objetivo chamar a atenção da necessidade de contar com metodologias para a comprovação da existência de povos isolados e para identificação de territórios que venham a ser reconhecidos e protegidos pelo Estado,.

- Aqui no Peru, por conta dos interesses diversos, principalmente das concessões de petróleo e madeira, o Estado tem procurado negar as propostas formuladas pelas organizações indígenas e da sociedade civil - assinala o antropólogo Marcelo Piedrafita Iglesias.

O governo peruano já reconheceu cinco Reservas Territoriais (RT): Kugapakori-Nahua, Madre de Dios, Mashco Piro, Murunahua e Isconahua. Porém, ainda falta o reconhecimento oficial de outras cinco RT, que foram solicitadas ao Estado peruano por cinco organizações.

O CTI articula ações conjuntas com as organizações peruanas que trabalham na defesa dos povos indígenas isolados e oferece sua experiência no reconhecimento de áreas para proteção desses povos.

A Conferência Internacional, realizada em parceria com a Universidade de São Marcos, pretende socializar a metodologia de investigação que vem sendo aplicada no Peru e Brasil para a identificação dos territórios dos índios isolados.

Os antropólogos que participam da Conferência Internacional realizaram estudos de identificação para o reconhecimento de Terras Indígenas (Brasil) e Reservas Territoriais (Peru) a favor dos povos indígenas em isolamento voluntário.

Gilberto Azanha (CTI) irá expor sobre a identificação da Terra Indígena Kawahiva do Rio Pardo. Marcelo Piedrafita (CPI) a respeito das terras indígenas para povos isolados na fronteira Brasil-Peru (Acre-Ucayali).

Terá também a presença de Carlos Soria, Beatriz Huertas Isrrail Aquise e Margarida Benavides antropólogos, advogados e representantes da AIDESEP (Asociación Interétnica de Desarollo de la Selva Peruana) e do CIPIACI (Comité Indígena Internacional para la Protección de los Pueblos en Aislamiento y en Contacto Inicial de la Amazonía, el Gran Chaco y la Región Oriental del Paraguay).

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.