VOLTAR

E agora, Rio Grande?

Folhetim (São Paulo - SP)
20 de abr de 1980

Na quarta-feira passado sete índios Kaingang pediram ao governador a devolução das terras que lhes foram tomadas entre 1941 e 1963. Também se discutia um projeto de regionalização de assistência ao índio (dividido entre o Estado e a Funai). O projeto deixou os Kaingang preocupados com respeito as reais intenções da Funai e do governo do Estado ao tomar esse tipo de medida. Uma comissão de índios que esteve em Porto Alegre anuncia também que pretendem realizar amplos debates entre os povos que vivem nas sete aldeias sobre as medidas que o governo pretende implantar nas sete terras indígenas para fortalecer a cultura material dos indígenas, sem no entanto haver consultado os índios que nelas vivem. Fruto desse debate será um documento com sugestões dos próprios Kaingangs sobre como melhorar a vida dos índios.
O presidente da Anai, Caio Lustosa, afirma que essas medidas da Funai abrem precedentes para a entrada de "empresas rurais" nas reservas, facilitando a exploração dessas terras. Afirma também que a regionalização permitira a intervenção do Estado em terras que são de monopólio da Funai, o que representa um perigo frente aos projetos desenvolvimentistas dos governos.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.