VOLTAR

Duplicação dentro do Parque é discutida

Diário de Cuiabá - http://www.diariodecuiaba.com.br/
Autor: JOANICE DE DEUS
25 de jan de 2018

Duplicação dentro do Parque é discutida

Diário de Cuiabá - Por Joanice de Deus

Importante corredor turístico de Mato Grosso, a MT-251, mais conhecida como Rodovia Emanuel Pinheiro, entre Cuiabá e Chapada dos Guimarães (65 quilômetros da capital), volta a ter em pauta de discussão a duplicação do trecho de 44 quilômetros, que liga o trevo do Lago do Manso até o município. A obra, que se destravada passará pelo Parque Nacional de Chapada dos Guimarães (PNCG), será o tema de duas audiências públicas, que serão realizadas em dias distintos na capital e em Chapada.

Para tentar tirar a intervenção do papel, um grupo de trabalho foi criado para dar celeridade no estudo de licenciamento ambiental da duplicação da rodovia. O grupo é composto por representantes das Secretarias de Estado de Infraestrutura e Logística (Sinfra), Meio Ambiente (Sema), Turismo, Prefeitura de Chapada dos Guimarães, Agência Metropolitana do Vale do Rio Cuiabá (Agem), empresários e membros da sociedade civil organizada.

É esse grupo que irá apresentar nos dias hoje e amanhã na capital e em Chapada dos Guimarães, respectivamente, o estudo de impacto ambiental (EIA). A ideia é que a sociedade terá a oportunidade de conhecer o projeto, opinar e dar sugestões durante as consultas públicas.

Desenvolvido pela Ecoplan, por meio da Sinfra, o projeto aborda vários itens importantes e apresenta três soluções técnicas para transposição do trecho entre o Balneário da Salgadeira e o Córrego da Mata Fria, passando pelo Portão do Inferno. O Parque Nacional é uma unidade de conservação de proteção federal, que está sob os cuidados do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio).

De acordo com informações da Sinfra, neste trecho, o grupo tem discutido condicionantes técnicas que envolvem desde ações para melhorar o escoamento das águas da chuva, bem como a construção de pontos de observação turística ao longo da estrada e a criação de corredores para travessias de animais silvestres, evitando atropelamentos.

De acordo com o secretário de Estado de Meio Ambiente, André Baby, o projeto apresenta os critérios necessários para ser apresentado para a população. "O projeto está no caminho do desenvolvimento sustentável e respeita todos os aspectos sociais e ambientais para trazer benefícios para a região", afirmou, por meio da assessoria de imprensa.

O secretário adjunto de Turismo, Luis Carlos Nigro, acredita que a obra irá dinamizar o comércio local. O entendimento é de que as intervenções turísticas ao longo da rodovia irão consolidar a Estrada Parque de Chapada dos Guimarães como importante corredor turístico.

Já a presidente da Agem, Tânia Matos, informou que um estudo conduzido pela agência identificou que uma das principais demandas da região do Vale do Rio Cuiabá é a necessidade de investimentos em infraestrutura para o desenvolvimento econômico. A duplicação da rodovia também será importante para a redução de acidentes de trânsito.

Conforme a Sinfra, após as deliberações da sociedade nas audiências públicas, a Sema dará continuidade às análises e emissão do parecer assistido pelo ICMBio.

A duplicação total da MT-251 é uma obra de mobilidade, idealizada pelas autoridades públicas do Estado ainda para a Copa do Mundo de 2014, ainda no mandato do ex-governador e atual senador Blairo Maggi. Contudo, os trabalhos ficaram paralisados por meses e retomados pela atual gestão estadual. Ainda assim, esse pedaço de 44 quilômetros estava previsto para entrar em obras ainda no ano de 2016.

Atualmente, está em duplicação o trecho de 3,6 quilômetros da rodovia, no perímetro urbano, no trecho localizado entre o entroncamento com a Rodovia Helder Cândia (MT-010), e o trevo de acesso ao bairro Jardim Vitória, próximo a Fundação Bradesco. Com investimento inicial de aproximadamente R$ 25 milhões, os trabalhos neste ponto estão previstos para serem entregues neste ano. Já estão prontos e duplicados, o pedaço do Jardim Vitória até o trevo de saída para Manso.

Na capital, a audiência pública está marcada para hoje, quinta-feira (25), no auditório do Crea-MT, que fica na Avenida Historiador Rubens de Mendonça, no Bairro Araés. Em Chapada, ocorre na sexta-feira (26), na Câmara de Vereadores. Ambas reuniões, estão agendadas para às 19 horas.

Com seus 32.630 hectares, está a 26 quilômetros da área urbana de Cuiabá e a 6 km de Chapada dos Guimarães, com acesso pela MT-251. O PNCG conta com recursos naturais e riqueza de ambientes, como matas de encosta, matas ciliares e veredas, onde muitas espécies animais e vegetais coexistem, além da proteção de nascentes e corpos d'água, passa a ter grande importância num contexto atual de pressões crescentes sobre o cerrado.

O Parque Nacional está localizado na bacia do Rio Cuiabá, tendo em sua área nascentes de afluentes de dois importantes formadores: os rios Coxipó e Manso. Entre os principais afluentes perenes da margem direita do Rio Coxipó constituem afloramentos do Aquífero Guarani e têm suas nascentes no parque.

Pela sua margem esquerda, após a Cachoeirinha, o Rio Coxipó recebe o córrego Piedade, formador da Cachoeira dos Namorados e forma a Cachoeira Véu de Noiva, um dos principais pontos de visitação turística. Na região, encontra-se ainda o Circuito das Águas com as cachoeiras Sete de Setembro, Pulo, Andorinhas, Independência, entre outras.

http://www.diariodecuiaba.com.br/detalhe.php?cod=512157

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.