VOLTAR

Dois homens são presos por desmatamento ilegal na Reserva Florestal Margarida Alves em RO

G1 - https://g1.globo.com/
Autor: Por G1 RO
25 de mar de 2020

Fiscalização na área é contínua, segundo a PF, desde a deflagração da Operação Prímula, em 2019. Rondônia perdeu 70 mil km² de floresta em quase 30 anos, aponta Mapbiomas.

A Polícia Federal (PF) prendeu dois homens na quarta-feira (24), os suspeitos foram flagrados desmatando a Reserva Florestal Margarida Alves, área da União localizada em Nova União (RO), próximo a Ji-Paraná (RO).

Os agentes se deslocaram à região após uma denuncia anônima informando os crimes ambientais. Em conjunto com a Polícia Militar (PM), houve apreensão de quatro motocicletas, uma motosserra e uma roçadeira, utilizadas pelos homens para invadir e desmatar as áreas da união.

Segundo os policiais, os suspeitos foram levados e interrogados na sede da PF em Ji-Paraná, onde foi oficializado o auto de prisão em flagrante pelos crimes de invasão de terras públicas e degradação de floresta em terra pública.

Os investigados, após serem interrogados, foram encaminhados ao presídio de Ji-Paraná, onde permanecem à disposição da Justiça Federal.

A fiscalização na área é contínua, segundo a PF, desde a deflagração da Operação Prímula, que desarticulou um grupo criminoso que invadiu, desmatou e loteou áreas do assentamento Margarida Alves.

A PF também informa que desde o início das investigações foram realizados vários flagrantes de extração ilícita de madeira no assentamento. Na maioria dos casos, a investigação apontou que a madeira extraída era transportada e comercializada diretamente por pessoas ligadas à organização.

Ao longo dos últimos meses, a PF verificou que a degradação ambiental avançou na área do assentamento e entorno dos acampamentos montados pelos invasores.

Desmatamento na Amazônia

Rondônia perdeu 69.526 km² de floresta entre 1990 e 2017. A quantidade de floresta perdida equivale a quase 10 mil campos de futebol do tamanho do Maracanã, no Rio de Janeiro. Os dados são do Mapbiomas (entenda como funciona) e foram analisados pelo G1.

Os números do Mapbiomas revelam que, em 1990, a formação florestal em Rondônia era de pouco mais de 20 milhões de hectares. Já a de abertura de pastagem era de quase 2,7 milhões de hectares na época.

Mas a formação florestal declinou para cerca de 14 milhões de hectares em 2017, enquanto o quantitativo de pasto subiu para quase nove milhões, um crescimento de mais de 200% em 27 anos.

Recentemente, dados do Projeto de Monitoramento do Desmatamento na Amazônia Legal por Satélite (Prodes) apontaram que o desmatamento em toda a Amazônia avançou quase 30% entre julho de 2018 e agosto de 2019.

Trata-se de um aumento de 29,5% em relação ao período anterior (agosto de 2017 a julho de 2018), que registrou 7.536 km² de área desmatada.

https://g1.globo.com/ro/rondonia/natureza/amazonia/noticia/2020/03/25/d…

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.