VOLTAR

Descendentes de escravos vão à Justiça por terra

O Estado de S.Paulo (São Paulo - SP)
22 de set de 1996

Desde 1982, quando a cidade de Garanhuns, localizada a 230 quilômetros de Recife, em Pernambuco, começou a expandir suas fronteiras, os habitantes de Castainho, comunidade formada por remanescentes de escravos fugidos, vivem amedrontados. As terras cultivadas pelo reduto de negros, que se dizem descendentes diretos dos escravos que viveram no quilombo de Palmares, são o atual alvo da especulação imobiliária que domina a região.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.