VOLTAR

Desassistidos, Fulni-ô se organizam

Porantim
31 de dez de 1984

Devido à falta de remédios e ao péssimo atendimento no Posto da Funai, os Fulni-Ô decidiram se organizar para enfrentar o problema de saúde da comunidade. Foi criada uma sociedade, onde cada família contribui com Cr$500 por semana, e obtém atendimento e remédios em caso de emergência.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.