VOLTAR

D. Tomaz acha que emancipação dos índios é genocídio

Jornal do Brasil, p. 7 (Rio de Janeiro - RJ)
24 de out de 1978

D. Tomaz, presidente do Cimi, afirmou que o projeto de emancipação indígena do governo é uma forma de genocídio "limpo, que não suja as mãos". Ele destacou a necessidade de se formar uma opinião pública nacional e internacional contrário à essa medida, assim como considera importante acreditar e reconhecer os índios como protagonistas dessa luta. Além disso, o presidente da ANAI distribui nota convocando todas as pessoas para o ato público de repúdio ao projeto, que acontecerá na PUC/SP, no dia 8 de novembro. Em Belo Horizonte, o Grupo de Estudos da Questão Indígena também distribuiu uma nota, acusando o ministro Rangel Reis de ter "recorrido a um artifício jurídico" para retirar do Congresso o debate sobre a emancipação.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.