VOLTAR

Cultura exibe documentário sobre os índios gigantes

A Crítica, p. Capa, D1
08 de jun de 1995

Cultura exibe documentário sobre os índios gigantes
O mais recente trabalho do videasta amazonense Aurélio Michilles é o tema de debate no programa Painel Cultural, do Canal 2

Leyla Leong

O mais recente trabalho em vídeo do cineasta amazonense Aurélio Michiles será o tema central do programa "Painel Cultural" que a TV Cultura, canal 2, exibe hoje ao meio dia. Para debater o vídeo-documentário "0 Brasil Grande e os Índios Gigantes" com o autor, foi convidado o professor Renan Freitas Pinto.
0 filme, de 47 minutos, será exibido também na Cultura, no sábado, às 21 horas.
Michiles associou-se ao Instituto Sócio-ambiental para produzir o documentário que pretende contar a "verdadeira história dos índios gigantes" desde o seu contato coar os "brancos", entre 1968 e 1973, e sua jornada pela retomada do território tradicional. 0 documentário passa a fazer parte de uma campanha de apoio aos Panará desenvolvida por várias organizações defensoras da vida e do ambiente.
Utilizando imagens recuperadas do passado, Michilles traz à tona, através do seu filme, o conflito entre os Krenakarore (índios gigantes) e os brancos, acontecido na década de 70, quando da abertura da estrada Cuiabá-Santarém. Nessa época, os índios foram removidos das suas terras e transferidos para o Parque Indígena do Xingu. 0 agrupamento indígena foi sendo dizimado pelas doenças e pelo choque de haver perdido as terras. Somente no ano passado a Fundação Nacional do Índio (Funai) reconheceu a reivindicação dos krenakarore que tentam voltar para o seu lugar de origem.
No lugar que lhes foi tomado ergueram-se cidades. Michiles mostra através de imagens e depoimentos dos índios a devastação das terras causada pelos garimpos e as atividades agrícolas.
Após assistir ao filme, o professor Renan Freitas Pinto falou à reportagem, destacando a importância artística, documental e denunciadora do documentário.
Além dos comoventes depoimentos dos índios que ainda restam, e que persistem na idéia de voltar à terra que lhes pertence, Michiles recolheu opiniões e observações brilhantes dos irmãos Villas-Boas (que fizeram o primeiro contato com os índios gigantes), do economista Roberto Campos, do antropólogo Darcy Ribeiro, e do ex-presidente da Funai, General Ismarth de Araújo.
0 impacto causado pela foto dos índios gigantes estampada nas primeiras páginas dos jornais na época da construção da estrada, que gerou o poema de Carlos Drummond de Andrade (veja no quadro ao lado) e a música "Kreen-Akarore" composta por Paul MacCartney que serve de trilha sonora do filme, é reavivado pelo filme-denúncia de Aurélio Michiles.
Além de "0 Brasil Grande e os índios Gigantes" Michiles realizou os vídeos "Lina Bo Bardi", "Que Viva Glauber". "A Árvore da Fortuna" e "Davi Contra Golias - Brasil Caim" (sobre os Yanomami).
Atualmente o videasta está trabalhando na realização de um projeto que vem desenvolvendo nos últimos quatro anos: o vídeo "0 Cineasta da Selva", sobre a vida e do' luso-amazonense Silvino Santos.

Kreen-Akarore
Gigante que recusas encarar-me nos olhos, apertar minha mão temendo que ela seja uma faca, um veneno uma tocha de incêndio; gigante que me foges, légua após légua, e se deixo os sinais de minha simpatia, os destróis: tens razão. Malgrado meu desejo de declarar-te irmão e contigo fruir alegrias fraternas só, tenho para dar-te em turvo condomínio o pesadelo urbano de ferros e de fúrias em contínuo combate na esperança de paz -uma paz que se esconde e se furta e se apaga medusada de medo, como tu, akarore, na espessura da mata ou no espelho sem fala das águas do Jarina.
(Carlos Drummond de Andrade, 1977)

Ficha técnica
Roteiro e direção - Aurélio Michiles
Produção e assistência de direção - Eliane Cesar Imagens - Arnaldo Mesquita, David Pennington e Maurizio Longobardi
Trilha sonora - Caíto Marcondes

A Crítica, 08/06/1995, p. D1

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.