VOLTAR

Corte de árvores ameaça reserva

Jornal de Santa Catarina
07 de ago de 2002

Exemplares de espécies ameaçadas de extinção foram cortados em área de Proteção Ambiental.
A Reserva Biológica Ambiental do Sasafrás, localizada em Doutor Pedrinho, sofreu uma violenta agressão ao seu património vegetal, quando duas perobas e oito canelas-pretas - espécies ameaçadas de extinção - foram cortadas e arrastadas para fora. A madeira foi levada até poucos metros da estrada-geral que delimita José Boiteux: e Doutor Pedrinho.
As árvores foram retiradas provavelmente na semana passada, em uma ação rápida. 0 cenário indica que uma motosserra e um trator com guincho foram utilizados para retirar as toras, que deixaram um grande rastro de destruição.
Além disso, existem outras ilegalidades que ferem o Código Florestal Brasileiro, verificadas pela fiscalização da Fundação de Meio Ambiente (Fatma). "0 local de onde a madeira foi retirada tem uma declividade acima dos 45 graus, em uma área de preservação permanente e às margens de um afluente do Rio Forcação", relata Aurélio José de Aguiar, engenheiro agrimensor e um dos três agentes fiscais da Fatma que estão no local desde segunda-feira
No local aínda permanecem os dois troncos de peroba cortados dentro da reserva ambiental - as toras de canela-preta foram levadas pelos cortadores. "Os troncos de peroba não são tão verticais como os da canela, e não rendem grandes tábuas. São muito utilizados para a fabricação de tacos", ressalta.
Em Florianópolis, o diretor de Estudos Ambientais da Fatma, David Vieira da Rosa Fernandes, diz que, enquanto os agentes permanecerem na reserva, não deverá haver novos desmatamentos. "0 ,problema é que depois voltam para cortar outras árvores", teme. Para David, o desmatamento foi feito por índios da Reserva Duque de Caxias. "um relatório está sendo elaborado, e será repassado ao Ministério Público Federal e à Funai (Fundação Nacional do Índio) diz o diretor.
(-Jornal de Santa Catarina-Florianópolis-SC-07/08/02)

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.