VOLTAR

Coordenação da Funasa local avalia como preocupante assistência à saúde dos índios

Folha de Boa Vista-Boa Vista-RR
26 de out de 2005

CA Coordenação da Fundação Nacional de Saúde (Funasa) anunciou ser preocupante a situação da assistência à saúde prestada aos povos indígenas de Roraima. A atual coordenação está há um mês na Funasa e chama a atenção para a necessidade de fortalecer a autonomia dos Distritos Sanitários.

Ionilso Sampaio, coordenador da Funasa, afirmou o compromisso de trabalho no cumprimento das diretrizes do Departamento de Saúde Indígena da Funasa, que na sua opinião está em sintonia com o que determina o Sistema Único de Saúde (SUS).

Ele lembrou que o modelo de atenção à saúde indígena proposto pelo Governo Federal é estratégico e visa a prevenção, proteção, promoção, assistência e recuperação da saúde dos povos indígenas com atendimento diferenciado, o que na prática significa considerar as características culturais de cada etnia.

Segundo o coordenador, para que estas ações sejam realizadas com sucesso, a Funasa enfrenta uma série de dificuldades como: acesso a algumas localidades, carência de profissionais aptos a enfrentarem situações adversas e a falta de um gerenciamento mais eficaz da instituição, na garantia de logística para as áreas técnicas, finalistas e nas ações das conveniadas.

"Mesmo assim é percebida a busca por elevada auto-estima do corpo técnico da Funasa e do conjunto de pessoas e profissionais envolvidos direta ou indiretamente com a saúde dos povos indígenas no Estado; isso é possível, se o modelo de atenção conseguir alcançar as reais necessidades das comunidades indígenas", é o que afirma o Coordenador.

O coordenador lembra ainda que a política nacional de atenção à saúde dos povos indígenas tem no Projeto Vigisus II mais uma estratégia fundamental para a consolidação das ações. "O Vigisus é uma parceria entre Banco Mundial e Governo Federal para dinamizar e apoiar a assistência sanitária dos povos indígenas, assim como ajudar a desenvolver a capacidade de organização, gestão, atenção e administração do Subsistema de Saúde do SUS. Para que isso aconteça a Funasa entre outras ações propõe o fortalecimento dos Distritos Sanitários, os Dseis", disse.

A Funasa em Roraima atua na saúde indígena e no saneamento básico das comunidades através de dois Dseis; O Distrito Sanitário Especial Indígena do Leste, com cobertura de seis etnias, distribuídas numa população de aproximadamente 31.106 indígenas. E o Distrito Sanitário Especial Indígena Yanomami, que atende uma população de 15.686 pessoas em 37 pólos-base e 245 aldeias.

As ações da Funasa são realizadas através de parceria com prefeituras e com o Conselho Indígena de Roraima, CIR, no caso do Distrito do Leste; e das conveniadas, Diocese de Roraima, IBDS, SECOYA e UNB e duas não conveniadas: MEVA e MNTB, no caso do Distrito Yanomami.

O Sampaio reconhece o apoio que tem recebido de toda a bancada parlamentar federal junto à presidência da Funasa para garantir maior volume de recursos para a regional. "Isso tem permitido ao nosso Departamento de Engenharia, desenvolver nos municípios e comunidades indígenas, um programa de investimentos em infra-estrutura de saneamento, drenagem de águas pluviais, implantação de sistemas de abastecimento de água, esgotamento sanitário e tratamento de resíduos sólidos, melhorando a qualidade de vida das pessoas", lembrou

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.