VOLTAR

Conselheiros debatem saúde indígena

Página 20 Online
Autor: Renata Brasileiro
16 de abr de 2008

A Fundação Nacional de Saúde (Funasa) sediou na manhã de ontem o primeiro Encontro de Conselheiros dos Distritos do Alto Purus e Alto Juruá, que teve o objetivo de discutir a portaria 2656/2007. A portaria dá diretrizes de como gastar recursos com a saúde indígena, atendendo as maiores necessidades das comunidades.

Este ano, o Acre recebeu R$ 15 milhões para desencadear ações e projetos que melhorem a qualidade dos serviços de saúde oferecidos aos 18 mil índios acreanos. O recurso deverá ser bem investido para atender as necessidades das comunidades espalhadas em 13 municípios acreanos durante todo o ano.

"Por isso essa reunião é tão importante. Precisamos que os conselheiros dos distritos apontem as maiores necessidades para que possamos fazer o melhor uso possível do dinheiro", disse o coordenador regional da Funasa, José Carlos Lira.

Um dos itens que é necessário ser adquirido para todas as comunidades, diz respeito a contratação de equipes multidisciplinares, com médicos, enfermeiros, odontólogos, técnicos de enfermagem e outros profissionais auxiliares, bem como motoristas e barqueiros que conduzam a equipe até às comunidades.

"A partir desta discussão de prioridades que estamos tendo aqui, será feita uma agenda de compromissos e essa agenda deverá ser pactuada por todas os municípios que receberão os recursos para administra-los. Estão envolvidos nesse compromisso a Funasa, as prefeituras e o Controle Social Indígena", completou o coordenador.

As comunidades indígenas dos 13 municípios a serem atendidos são divididas por distrito. O Distrito do Alto Juruá abrange Feijó, Tarauacá, Cruzeiro do Sul, Mâncio Lima, Porto Walter, Jordão e Marechal Taumaturgo. O Distrito Alto do Purus abrange Sena Madureira, Manoel Urbano, Assis Brasil, Pauiní e Rio Branco.

Para o chefe do Distrito Especial Indígena Alto do Purus, Gelcimar Mota da Cruz, os recursos serão suficientes para atender as demandas. "Com a criação da agenda, os recursos serão bem aplicados e todas as necessidades serão atendidas. Para isso basta que a agenda seja cumprida com seriedade", argumentou.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.