VOLTAR

Confederação quer discutir segurança dos servidores com Ricardo Salles

((o))eco - http://www.oeco.org.br/
Autor: Sabrina Rodrigues
03 de out de 2019

Confederação quer discutir segurança dos servidores com Ricardo Salles

A Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Federal (CONDSEF) e a Federação dos Trabalhadores no Serviço Público Federal (FENADSEF) encaminharam um ofício ao Ministério do Meio Ambiente solicitando uma audiência, em caráter de urgência, com o ministro Ricardo Salles para discutir a segurança e proteção de servidores da Área Ambiental.

O documento, que é assinado pelo Secretário-Geral da Condsef/Fenadsef, Sérgio Ronaldo da Silva, declara que os sindicatos têm recebido relatos da situação dos servidores do Ministério do Meio Ambiente, Ibama, ICMBio e Serviço Florestal Brasileiro de casos de assédio moral, perseguição e ausência de condições de trabalho.

O Ofício cita a reportagem que foi ao ar no domingo (29/09), no programa Fantástico da Rede Globo de televisão, "a qual registrou uma série de ameaças sofridas por agentes públicos que são funcionários ligados ao Ministério, que Vossa Excelência está conduzindo", declara o secretário-geral da Condsef, no documento.

Petição online

Uma petição online com objetivo de pedir mais atenção da sociedade e das autoridades brasileiras para a área ambiental e para os servidores já tem mais de 35 mil assinaturas. Na página da petição, os servidores relatam cortes de orçamento, remanejamento de equipes sem motivo e demissões de profissionais experientes e restrições na atuação dos fiscais, além da preocupação com o clima de insegurança que inclui relatos de ambiente hostil.

Saiba Mais

Ofício CONDSEF/FENADSEF

https://www.oeco.org.br/blogs/salada-verde/confederacao-quer-discutir-s…

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.