VOLTAR

Comunidade Quilombola do Carrasco, em Arapiraca, sofre há 3 anos com falta d'água encanada

G1 https://g1.globo.com
05 de jan de 2019

Moradores da Comunidade Quilombola do Carrasco, que fica na zona rural de Arapiraca, sofrem com abastecimento de água encanada há cerca de três anos. Como tentativa de amenizar o problema, o poder público envia caminhões-pipa, mas eles que deixaram de aparecer na comunidade.

No Carrasco vivem cerca de 300 famílias. Quem mora na parte baixa da comunidade, conta com água encanada na rede de abastecimento da Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal).

Mas essa situação não é a mesma dos que têm casa na parte alta. Por lá, a água não chega nas torneiras. A salvação seriam as cisternas, mas elas também estão vazias porque o abastecimento não está sendo feito pelos caminhões.

O secretário de comunicação de Arapiraca, Erick Balbino, confirmou que o abastecimento é feito por caminhões-pipa, mas a cidade tem apenas dois veículos para atender todas as comunidades que dependem deste tipo de serviço.

Disse ainda que ainda nesse mês, a operação federal, de responsabilidade do Exército Brasileiro, deve ser iniciada e o abastecimento de água restabelecido na comunidade.

Já a Casal informou que a parte de responsabilidade da companhia é abastecida pelo novo sistema adutor do agreste, e que a produção de água vem sendo prejudicada também pela reduzida vazão do Rio São Francisco.

Além disso, disse que há um projeto para um novo reservatório, mas isso ainda deve passar por um processo licitatório antes do início das obras.

Enquanto isso não se resolve, o problema se arrasta e os transtornos são grandes. Os moradores têm reclamações protocoladas desde o mês de setembro do ano passado. Quando não há mais jeito de ficar sem água, eles se unem e pagam um serviço de caminhão-pipa.

"Pego um pouco com o vizinho e vamos compartilhando. Aí quando chega no limite mesmo, tem que reunir dois ou três para comprar de um caminhão, até esperar chegar da prefeitura", contou o agricultor Alan Manoel da Silva.

"Nem todo mundo pode dar R$ 170 em um carro d'água. A gente tem que dividir com nossos irmãos porque não temos. Então, eu estou pedindo o senhor que tenha piedade de todos nós", disse uma moradora.

https://g1.globo.com/al/alagoas/noticia/2019/01/05/comunidade-quilombol…

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.