VOLTAR

Comunidade do Antimary se organiza e amplia benefícios sociais e econômicos

Agência de Notícias do Acre - www.agencia.ac.gov.br
Autor: Edmilson Ferreira
10 de set de 2009

As 56 famílias que moram na Floresta Estadual do Antimary, numa área de cerca de 47 mil hectares nos municípios de Bujari e Sena Madureira estão organizadas em três associações: Associação dos Seringueiros da Floresta Estadual do Antimary, localizada na região central da unidade; Associação Unidos da Floresta Estadual do Antimary (Asfea), na região ribeirinha; e Associação Verdes Florestas do Igarapé Sossego. Somente seus representantes podem falar em nome da famílias da FEA. "Nossa organização é a base de tudo", disse Raimundo Nonato Leôncio da Costa, presidente da Asfea.

A FEA foi certificada pelo selo FSC em 2005, constituindo-se na 1ª Base para o Programa de Certificação Florestal do Acre. A Floresta Estadual do Antimary é uma unidade de desenvolvimento sustentável e promoção humana a partir do manejo madeireiro e não madeireiro de uso múltiplo. Com organização e o apoio do Governo do Estado e seus parceiros, os moradores têm acesso a diferentes mecanismos de trabalho e renda. Além de contar com uma colocação de 100 hectares através da concessão de uso, neste ano, o Governo do Estado, através da Secretaria de Florestas (SEF), fez a concessão não-onerosa de 3 mil hectares. Desse total, 500 hectares já foram explorados, levando renda de R$ 3,3 mil para cada família. E há a possibilidade de ainda em 2009, mais 500 hectares serem explorados, pelo menos dobrando o rendimento daquela população.

Entre outras atividades, os moradores coletam sementes de copaíba, jatobá, paricá, mogno e cedro, além da extração de borracha, látex e madeira - tudo dentro da colocação individual de 100 hectares. Vários outros projetos e programas estão em andamento para melhorar ainda mais a condição de vida dos moradores. De acordo com a SEF, até terça-feira próxima será implantado o programa de treinamento para exploração, que são cursos para operação de máquinas pesadas.

Os benefícios da FEZ atendeu também aos agricultores que vivem nos projetos de assentamento ao derredor da unidade, como o PA Edilza Carneiro e Uirapuru, ambos de responsabilidade do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra). Outro ramal está sendo construído para ligar os extremos da reserva, reduzindo o isolamento de muitas famílias. Questão fundiária, acesso, educação, saúde e trabalho estão entre as prioridades da coordenação do plano de manejo da FEA.

Mais benefícios - Nos próximos dias, os moradores estarão recebendo kits de energia elétrica, sendo que um deles é o fogão Geralux, que cozinha ao mesmo tempo que produz eletricidade. Receberão também kits para tratamento de água. A SEF irá implantar o programa Semente São Francisco, que trocará sementes de espécies florestais por cesta básica. O Governo do Estado adquiriu dois caminhões para apoiar o escoamento da produção. "Antes, a gente pagava R$ 4 por saco que o caminhão levava para o mercado", disse Agenor Nascimento Barreto, líder comunitário. "Antes do trabalho do Governo, vivíamos isolados. Hoje, a gente sai para Rio Branco e volta no mesmo dia", completou Raimundo Nonato da Costa, presidente da Asfea. O Antimary funciona como laboratório de estudos técnicos de manejo nas áreas de mercado para produtos florestais madeireiros e não-madeireiros, além de pesquisar os aspectos sócioeconômicos relacionados aos seringueiros que vivem na reserva e a concessão para exploração privada e comunitária das áreas de floresta.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.