VOLTAR

Começa Plano de Manejo do Parque de Santa Bárbara

Secom/MT - www.secom.mt.gov.br
Autor: Adriana Gomes
05 de Jul de 2002

Na próxima segunda-feira (08) o Parque Estadual da Serra de Santa Bárbara, localizado entre os municípios de Porto Esperidião e Pontes e Lacerda, começa a contar com seu Plano de Manejo. O plano vai permitir, com um zoneamento feito pela organização não-governamental de Curitiba "Fundação Erasmo de Roterdam", definir qual o perfil de cada zona do parque.

O coordenador de Assuntos Ecológicos e Desenvolvimento Sustentável da ong, Rodrigo de Almeida explica que o zoneamento dará um direcionamento de como cada área deve ser tratada, se deve ser conservada (com acesso controlado de visitantes e pesquisadores) ou totalmente preservada. Neste caso, o acesso sob qualquer circunstância é impedido para que a biodiversidade do local não seja afetada.

A ong atuará em parceria com a Fundação Estadual do Meio Ambiente (Fema), que é a gestora do parque, as prefeituras municipais de Porto Esperidião e Pontes e Lacerda e ongs locais. Em dez dias de campo a equipe - composta pelos ornitólogos (especialista em aves) Louricleman Júnior e Eduardo Carrano, pelos mastozoólogos (especialistas em mamíferos) Rodrigo de Almeida e Liliane Tiepolo, o epitólogo (especialista em répteis e anfíbios) Magno Duarte e o entomólogo (especialista em insetos) Rodney Cavichioli -, além de conhecer a área e suas potencialidades, realizará oficina em Pontes e Lacerda para apresentar o Plano de Manejo à comunidade. A oficina acontece dia 17 de julho em local a ser ainda definido.

A Fundação Roterdam foi escolhida para fazer o Plano de Manejo pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA), que lançou o edital de convocação para o trabalho. O MMA repassará R$ 120 mil para o trabalho, proveniente do Fundo Nacional para o Meio Ambiente (FNMA) e tem ainda mais R$ 400 mil para a implantação do Plano de Manejo.

Como principal justificativa para a elaboração de um Plano de Manejo a ong apresentou ao MMA preocupação com o fato do local abrigar em 55% de seus 120.092,11 hectares de área o cerrado, um bioma muito ameaçado. Além disso, a preservação da beleza cênica de sua serra e a possibilidade, segundo estudos iniciais, de que existam espécies de insetos ainda pouco estudados pela ciência naquele local.

O secretário de Meio Ambiente, Frederico Müller se manifestou satisfeito com o início do trabalho em parceria entre a Fema e a Fundação Roterdam, uma vez que o Plano de Manejo é imprescindível para a implementação do parque. Embora criado em 4 de novembro de 1997 pelo Decreto Estadual 1797, e regulamentado pela Lei 7165, de 23 de agosto de 1999, o Parque da Serra de Santa Bárbara está dentro do tempo previsto para sua implementação.

Para garantir sua preservação, atualmente a ong Instituto Centro de Vida (ICV) desenvolve trabalho de educação ambiental no entorno do parque com o objetivo de conscientizar a comunidade sobre a importância de se conservar o meio ambiente.

Roterdam - A ong foi criada em 1996 e tem uma vasta experiência em projetos ambientais pelo país. No Paraná trabalha na região do Vale do Ribeira, onde localiza fragmentos florestais em condições para tornarem-se Reservas Particulares de Patrimônio Natural (RPPN), com o projeto "Conservar e Educar - caminhos para um novo mundo".
Ao todo são 14 áreas de RPPNs que devem ser transformaados num Corredor Ecológico (várias áreas protegidas de terras contínuas) ainda neste ano. No Nordeste a Fundação trabalha em Jequiá da Praia, onde faz o levantamento sócio-econômico-ambiental. O trabalho deve estar concluído no próximo ano. No Amapá realiza manejo de áreas, contatos e parcerias com instituições financeiras para implantar projetos.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.