VOLTAR

Começa campanha de vacinação nas aldeias

Funasa
22 de abr de 2008

Para comemorar o Dia do Índio, festejado no último sábado (19), o presidente da Fundação Nacional de Saúde (Funasa), Danilo Forte, abriu oficialmente na aldeia Umariaçu II, no Amazonas, a Campanha Nacional de Multivacinação dos Povos Indígenas e a Semana de Vacinação nas Américas 2008. O trabalho das equipes de saúde já começou e vai beneficiar pelo menos 19 mil índios de sete estados brasileiros.

A campanha é uma iniciativa conjunta do Ministério da Saúde, por intermédio da Funasa, Organização Pan-Americana de Saúde (Opas) e Fundação Nacional do Índio (Funai). No Brasil, serão vacinados indígenas de 15 Distritos Sanitários Especiais Indígenas (Dsei) mais remotos, como Vale do Javari e o Médio Purus, além dos Yanomâmis, em Roraima.

No lançamento da campanha, além do presidente da Funasa, estiveram presentes representantes dos governos da Colômbia -vice-ministro de Saúde e Bem-Estar, Carlos Ignácio Cuervo - e do Peru - vice-ministro de Saúde, Melitón Arce Rodrigues.

O trabalho teve início com a aplicação de vacina em algumas crianças indígenas, que trajavam vestimentas e pinturas feitas especialmente para o evento. Durante a abertura oficial, houve ainda apresentação de danças e um ritual denominado "Moça Bonita", que trata da iniciação de uma adolescente indígena para o casamento.

O presidente da Funasa ressaltou o dever da instituição em prestar atendimento à saúde indígena em todos os cantos do País, citando a Constituição Federal: "A saúde é um direito de todos e a Funasa tem a responsabilidade de atender a este direito, levando por meio de ações e projetos a saúde para os lugares mais distantes do Brasil".

Paralelo ao trabalho de vacinação ocorre uma megaoperação da Funasa na região do Vale do Javari, que tem o apoio das Forças Armadas para o atendimento médico aos indígenas da região. "Foi preciso juntar forças e firmar esta parceria para que, em uma operação conjunta, possamos obter resultados favoráveis, uma vez que o Vale do Javari tem uma das características geográficas mais remotas, o que dificulta a nossa atuação lá", explicou Danilo Forte. Ele ainda antecipou que uma ação semelhante será realizada, em breve, com o povo Yanomâmi, em Roraima.

Após apresentar a melhora em todos os indicadores de saúde indígena - diminuição dos casos de mortalidade infantil e ampliação dos serviços de saneamento básico - Danilo Forte ouviu do cacique Manoel Néri mais uma reivindicação. "Agradeço em nome de minha tribo o que já possuímos nesta nossa aldeia, mas estamos precisando de mais atenção. Queremos um mini-hospital, pois temos dificuldade de sermos atendidos pelos grandes centros médicos do município", ressaltou.

Para reforçar ainda mais as ações, Danilo Forte inaugurou um posto de saúde na aldeia, com infra-estrutura formada por consultórios médico e dentário, enfermaria, ambulatório, salas de farmácia, triagem e curativo. A aldeia Umariaçu é abastecida com água potável, graças ao trabalho da Funasa.

Histórico e metas
Este é o sexto ano da Semana de Vacinação das Américas, a maior atividade de imunização em conjunto das Américas. De acordo com o assessor regional de imunizações da Opas em Washington, Carlos Castillo, presente no lançamento da campanha na aldeia Umariaçu, a ação visa a eliminação de doenças preveníveis, como, por exemplo, o sarampo.

A meta dos países vizinhos, segundo a Opas, é vacinar 10 milhões de crianças e adolescentes no Peru e 1,3 milhão, em idades entre 6 e 23 meses, na Colômbia. No Brasil, o objetivo do governo é colocar em dia a vacinação de mais 400 mil crianças e mulheres em idade fértil, que ainda não receberam vacinas do calendário básico.

O Brasil lança no dia 26 próximo a Campanha de Vacinação do Idoso contra a Influenza, que este ano tem a missão de vacinar 80% da população de 60 anos do País.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.