VOLTAR

CIMI DENUNCIA INVASÃO À TERRA INDÍGENA DENI

Cimi-Brasília-DF
19 de jan de 2004

O Conselho Indigenista Missionário - Cimi, Regional
Norte I (AM/RR), denunciou ao Ministério Público
Federal, à Fundação Nacional do Índio - Funai e Ibama,
da cidade de Carauari, a invasão à terra indígena Deni
por um grupo armado e teme a ocorrência de conflito
mais graves. A denúncia foi feita a partir de informação,
por radiofonia, do indígena Marishanu Deni, conselheiro
local da aldeia Morada Nova, localizada no rio Xeruã
Município de Itamarati, no Sul do Amazonas.
Na Quinta-feira da semana passada, dia 15/01/2004,
ele entrou em contato por radiofonia da sua aldeia com
o CIMI de Tefé, solicitando à entidade, ao Ministério
Público, Funai e Ibama providências para retirar os
invasores da área.
Segundo Marishanu Deni, há pelo menos sete dias que
"os filhos do senhor Raimundo López conhecidos como
Adilson, George e Mundico, estão à frente de um grupo
armado, no Igarapé do Resemã, dentro da Terra
Indígena Deni, derrubando árvores
indiscriminadamente".
Este fato, já aconteceu outras vezes. Os invasores são
velhos reincidentes. Marishanu Deni foi até o local para solicitar a retirada dos invasores, mas eles reagiram com ameaças de morte, amedrontando a comunidade e prometendo matar a quem os incomodasse.. Outro fato que vem acontecendo desde o mês de novembro é a invasão de pescadores. Comandados por um indivíduo de nome Damasho, eles estão pescando na boca do Rio Xeruã, para vender no município de Itamarati. Eles já foram visto estendendo redes na boca daquele rio desde da praia - que também é área de preservação ambiental do Ibama - em direção ao barranco, apanhando peixes de tamanho e espécies diferentes, em local e época proibidos. A terra Indígena Terra Indígena Deni é habitada pelo Povo Indígena Deni, localiza-se entre os Municípios de Itamarati e Tapauá no Sul do Estado do Amazonas e foi homologada em agosto do ano passado. Em setembro, o Cimi Norte I denunciou ameaças de morte a missionário e indígenas também por invasores.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.