VOLTAR

Cientistas querem dobrar meta de descobertas

O Globo, Ciência e Vida, p. 34
23 de mar de 2006

Cientistas querem dobrar meta de descobertas

Cientistas de diversas partes do mundo apresentaram ontem na COP8 um documento que alerta para a necessidade de dobrar a taxa anual de descobertas de novas espécies da fauna, da flora e de microorganismos até 2015. O estudo recomenda investimentos maciços em pesquisa para tornar realidade a meta. Entre os países com maior diversidade do mundo estão Brasil, Índia e China. A identificação de uma espécie é um processo criterioso, que demanda a existência de melhores catálogos, coleções de espécimes, bancos de dados e troca de informações.
Especialistas estimam que a taxa atual de descobrimento de novas espécies em todo o planeta seja de 25 mil por ano - a meta, portanto, seria de 50 mil. O documento foi desenvolvido a partir dos resultados do simpósio "Biodiversidade - a megaciência em foco", durante um evento paralelo da COP8.
Ontem, outro assunto que votou a ser discutido na conferência foi a polêmica sobre as sementes transgênicas com os genes chamadas exterminadores, que as tornam estéreis. Um estudo divulgado pela ONG Etc Group, que lidera uma campanha contra os grãos estéreis, divulgou uma estimativa do impacto econômico dos exterminadores no Brasil. Segundo o estudo, 70% dos 22 milhões de hectares de soja do país são plantados com sementes guardadas pelos agricultores. Por isso, o exterminador custaria R$ 866 milhões a mais aos produtores rurais brasileiros por ano. ( Tulio Brandão )

O Globo, Ciência e Vida, 23/03/2006, p. 34

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.