VOLTAR

CHAPADA DOS GUIMARÃES

Folha de S. Paulo-São Paulo-SP
Autor: FABIANO MAISONNAVE
07 de ago de 2001

No sul do Estado, outro incêndio está destruindo desde quinta-feira a reserva indígena Tadarimana, onde vivem cerca de 200 índios bororos. Segundo o Corpo de Bombeiros, já foram queimados 3.500 dos 10 mil hectares, o equivalente a 35% da área.Ontem, chegaram de Cuiabá 20 bombeiros, que passam a trabalhar ao lado de outros dez homens que estão no local.Em 99, um incêndio no mesmo local destruiu 90% da reserva, que fica perto de Rondonópolis (210 km de Cuiabá)."É só o começo do período crítico da seca", disse Paulo Wolkmer, chefe do centro de comunicação social do Corpo de Bombeiros de Mato Grosso. A estiagem deve durar agosto e parte de setembro, quando voltam as chuvas.Em Mato Grosso do Sul, estima-se que 70 mil hectares, a maior parte pastagens, foram destruídos pelo fogo na região de Porto Murtinho (490 km de Campo Grande). O incêndio começou na quarta e só foi controlado ontem.Apesar de não ter atingido áreas habitadas, várias pessoas procuraram ajuda médica por causa de problemas respiratórios.Há cerca de duas semanas, outro incêndio destruiu cerca de 4.000 hectares no Pantanal sul-mato-grossense.O clima quente e seco e o uso indiscriminado do fogo por fazendeiros são os principais combustíveis dos focos registrados nas últimas duas semanas em Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.