VOLTAR

Carajás vivem expectativa de reaver terras em Aruanã

O Popular (Goiânia - GO)
Autor: Carla Borges
06 de ago de 1997

Os índios Karajá da aldeia Burudina, dentro de Aruanã, estão otimistas com a condução do processo de demarcação de suas terras.
Enquanto aguardam a demarcação, eles estão se organizando. Eles estudam junto com a Funai a execução de um projeto de criação de gado e de horta mecanizada e têm discutido com o Ibama a implantação de um pólo de ecoturismo no local.
Além disso, realizam esforços para valorizar a escola bilíngue na aldeia, onde as crianças voltam a ter contato com a língua Karajá. O Projeto de Educação e Cultura Indígena Maurehi auxilia no processo e duas publicações em Karajá já foram lançadas.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.