VOLTAR

Caingangue, um sobrevivente bêbado, doente e oprimido

Correio do Povo
Autor: Moisés Mendes
29 de nov de 1972

A antropóloga Lígia Simonnian, de Ijuí, define os índios Kaingang e Guarani como sobreviventes de uma política oficial. A reportagem apresenta o trabalho de Simonnian, mostrando a trajetória dos abusos da política indigenista no Rio Grande do Sul, a partir do caso da aldeia Inhacorá. A reserva passou por situações de tomada de madeiras e de terras por parte do Estado, que assumia posições protecionistas quando a situação alcançava o nível do intolerável, e sempre com um objetivo de "avolumar a folha de serviços de funcionários e ampliar os feitos do governo."

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.