VOLTAR

Cacique Raoni entrega ao presidente Lula carta contra a mineração em TIs e pela demarcação da TI Kapôt Nhinore (PA)

ISA
12 de nov de 2007

O documento que Raoni entregou ao Presidente da República resume a preocupação de alguns povos indígenas como Mebengôkre (Kaiapó), Panará, Yudjá e Tapajuna, que o elaboraram durante curso de formação de professores na aldeia Piaruçu. Na carta, eles escrevem que não querem a construção de hidrelétricas em suas terras, não querem mineração e pedem a demarcação da Terra Kapõt Nhinore, do povo Kaiapó, em identificação desde 2004, situada no Pará. Leia a carta na íntegra.

Aldeia Piaraçu, 03 de novembro de 2007.

Ao Presidente da República do Brasil Luís Inácio da Silva -Lula

C/c para:Tarso Genro - Ministro da Justiça

Márcio Meira - Presidente da Funai

Nós estamos muito preocupados com o futuro dos nossos povos.

Queremos a demarcação do Kapôt Nhi~nore nesse ano. Há muito tempo estamos lutando pela demarcação, porque essa terra é sagrada e muito importante para o nosso povo Mebe~ngôkre. Todos os anos os pescadores e fazendeiros estão invadindo e destruindo nossos recursos naturais e locais sagrados dentro do Kapôt Nhi~nore.

Além disso, sabemos que o seu Governo quer construir seis usinas hidrelétricas no rio Xingu e outras em seus afluentes, como no Tepwatinhõngô, que os brancos chamam de Jarina. Nós não vamos deixar construir essas usinas hidrelétricas que vão destruir nossos territórios, os nossos recursos naturais e a vida dos nossos povos.

Queremos a Funai fortalecida, recebendo e administrando todos os recursos que existem para os povos indígenas que estão espalhados em vários ministérios e órgãos governamentais. Não aceitamos a estadualização e municipalização da saúde e educação indígenas. Cada povo vai decidir como os recursos serão repassados e administrados para o atendimento de suas comunidades.

Não aceitamos a mineração em terras indígenas e principalmente sem autorização da comunidade indígena. Não queremos a entrada de mineradores, garimpeiros, madeireiros, pescadores e qualquer tipo de invasores em nossos territórios.

Queremos que os direitos indígenas conquistados na Constituição de 1988 sejam respeitados.

Presidente Lula, o Governo Brasileiro precisa respeitar e proteger os povos indígenas.

Assinam a carta:

Terra Indígena Kapoto -Jarina:

Aldeia Me~tyktire:

Raoni Me~tyktire

Karupi Me~tyktire

Iodji Me~tyktire

Pekãn Me~tyktire

Beptok Me~tyktire

Nokere Tapajuna

Jabuti Me~tyktire

Aldeia Kremoro (Kapôt):

Patoit Me~tyktire

Mokuka Me~tyktire

Yteí Me~tyktire

Bekà Me~tyktire

Ngôkontkaire Me~tyktire

Tõtire Me~tyktire

Mojkara Me~tyktire

Aldeia Krumare:

Bàka-ê Me~tyktire

Aldeia Ke~npo:

Porekrô Me~tyktire

Ki~abjêti Me~tyktire

Aldeia Piaraçu:

Bedjai Me~tyktire

Meybã Me~tyktire

Pichanhã Juruna

Terra Indígena Xingu

Aldeia Tuba-Tuba:

Tinini Juruna

Karandindi Juruna

Aldeia Pakisamba:

Nhãnhã Juruna

Terra Indígena Me~krangôtire

Aldeia Angôã pari:

Krange Me~krangôtire

Aldeia Kamêrêkàkôp:

Karàkra Me~krangôtire

Pidjôbãrã Me~krangôtire

Aldeia Kororoti:

Nikàjti Me~krangôtire

Xik Me~krangôtire

Betoti Me~krangôtire

Bekôre Me~krangôtire

Aldeia Kube~kàkre:

Kadjure Kaiapó

Ima Kaiapó

Màdmari Kaiapó

Nhàkêt Kaiapó

Ytumti Kaiapó

Aldeia Pykany:

Bekrê Kaiapó

Wakõtire Kaiapó

Aldeia Kendjam:

Pykatire Kaiapó

Môpdjô Kaiapó

Kàprõt Kaiapó

Bepngri Kaiapó

Terra Indígena Kaiapó

Aldeia Kri~ny:

Kanhõk Kaiapó

Tôdkrã Kaiapó

Ngôtyk Kaiapó

Ire-ô Kaiapó

Mikin Kaiapó

Aldeia Gorotire:

Amjôti Kaiapó

Môj-y Kaiapó

Aldeia Kikretum:

Koãtoro Kaiapó

Bebajti Kaiapó

Aldeia Kokraimoro:

Kenti Kaiapó

Kôkti Kaiapó

Nepnoi Kaiapó

Banka-ê Kaiapó

Braire Kaiapó

Aldeia Pykararakre:

Kai~xokai~ Kaiapó

Kadjai~tnhõrõ Kaiapó

Aldeia Kubekrankêj:

Pai~jtyk Kaiapó

Ykakôro Kaiapó

Rotkai~re Kaiapó

Aldeia Tekrejarotire:

Parityk Kaiapó

Aldeia Mojkai~rai~k:

Bemoti Kaiapó

Kai~jkware Kaiapó

Oro Kaiapó

Aldeia Àykre:

Krwyi~te Kaiapó

Ômre Kaiapó

Aldeia Kawatxi:

Ai~kjabôrô Kaiapó

Aldeia Krãjai~pari:

Pangrai~ Kaiapó

Bekwyi~ka Kaiapó

Aldeia Pururu:

Kube~-i Kaiapó

Terra Indígena Panara

Aldeia Nãsepotiti:

Perankô Panara

Kupêri Panara

Akâ Panara

Teseia Panara

Kretoma Panara

Pâtikâ Panara

Tukokian Panara

Sykia Panara

Assinam também a carta:

30 professores Me~tyktire e Mekrangôtire

10 professores Panara

3 professores Tapajuna

3 professores Juruna (Yudja)

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.